Pais de namoro com

David Cristina, autor de uma rubrica no Canal Q, convidou Joana Latino para falar do assassinato do seu pai. A jornalista aceitou o desafio e contou, sem pudores, todos os pormenores da tragédia.. Envolto numa história de ciúmes, o pai de Joana 'deu o corpo às balas, literalmente' para proteger uma amiga. Assista ao vídeo e conheça a história, a partir do minuto três. Namoro entre operadoras e OTTs já começa a ser discutido. Por. Bruno Do Amaral - 21/05/14, 18:54 Atualizado em 21/05/14 ... Daniel Barna. A plataforma utiliza em conjunto APIs de Java e HTML5 para poder fazer o que ele chama de 'portabilidade' entre IM e call center, citando o caso da Amazon com o tablet Kindle Fire, que tem atendimento de ... Plataforma de Marketing Digital para empresas que querem aumentar as vendas, atrair mais leads e crescer nas redes sociais. Permanent Link: http://ufdc.ufl.edu/AA00011611/09648. Material Information Title: Diario de Pernambuco Physical Description: Newspaper A ocorrência foi registrada por volta das 03h00min desta madrugada de quarta feira 23 de outubro de 2019 no Conjunto Santa Delmira em Mossoró na região Oeste do Rio Grande do Norte, onde três assaltantes morreram e um outro foi preso durante confronto com a Polícia Militar.. De acordo com informações repassadas pela Assessoria de Comunicação da PM, quatro assaltantes, ocupando um ... Busque trabalhos relacionados com Watch my stocks ou contrate no maior mercado de freelancers do mundo com mais de 18 de trabalhos. É grátis para se registrar e ofertar em trabalhos. Realizamos pesquisas sobre quando os usuários são mais ativos em aplicativos de namoro, como Tinder, Bumble, Grindr e Hinge, para ajudá-lo a encontrar a melhor hora para marcar um encontro. O tempo é essencial quando se trata de namoro online: quanto mais rápido você agir, maior a probabilidade de avançar. O Tinder faz parte da IAC - um dos grupos mais diversificados de empresas da Internet - e é um dos aplicativos de namoro mais populares, ao lado de OkCupid e Bumble.. O aspecto mais fascinante da abordagem do Tinder é que ele tritura bilhões de entradas por dia e aplica aprendizado de máquina para entender o comportamento de encontros on-line e otimizar os algoritmos de correspondência ... Realizamos pesquisas sobre quando os usuários são mais ativos em aplicativos de namoro, como Tinder, Bumble, Grindr e Hinge, para ajudá-lo a encontrar a melhor hora para marcar um encontro. O tempo é essencial quando se trata de namoro online: quanto mais rápido você agir, maior a probabilidade de avançar.

Isolamento social fez eu me apaixonar como na adolescência e isso têm feito eu ter mais vontade de viver

2020.09.15 20:53 Apophises Isolamento social fez eu me apaixonar como na adolescência e isso têm feito eu ter mais vontade de viver

Esse texto vai ser longo, agradeço quem tiver interesse de ler. Tenho precisado escrever isso pra organizar as ideias.
É sabido que quanto mais nos apaixonamos, menor vai ser o fulgor das próximas paixões. Eu sempre fui uma pessoa que me apaixonava muito fácil, coisa que me rendeu várias tristezas e falta de correspondência, até ai é normal. Por conta disso também acabei me tornando mais frio e seletivo, o que me tirou a facilidade de criar vínculos com as pessoas (coisa que me faz muito bem, pois não sofro tanto mais com traições de amigos e namoros).
De qualquer modo eu passei a sentir falta de ter aquele sentimento fulgurante de paixão, ainda mais quando os problemas da vida vieram me açoitar e deixar minha vida mais cinza. Então veio a pandemia, o isolamento e eu cai de cabeça dentro do meu próprio ser a ponto de enjoar estar tanto tempo com as minhas qualidades e defeitos. A ponto da solidão não ser dolorosa, mas sim absurdamente tediosa. Eu ficava ansiando por falar com alguém, conhecer alguém, sentir algo por alguém, qualquer coisa que me aproximasse mais do externo.
Em virtude também da solidão e isolamento, parece que meu coração amoleceu e tornou tudo mais fácil; traduzindo pra linguagem popular: Carentena.
Moro com meus pais que são idosos, fico aqui cuidando deles, fazendo tarefas cotidianas: ir comprar água, pão, mistura, cigarro (pois somos todos fumantes) e numa dessas idas e vindas eu sempre vou no posto perto de casa. Uma moça começou a trabalhar lá, mais ou menos da minha idade. Em um dia específico, eu havia acordado angustiado, desanimado, com todos os efeitos de estar a meses sem socializar. E fui comprar o pão e o maldito cigarro. Lá estava ela, me cumprimentou profissionalmente (ou nem tanto), com um caloroso bom dia que atingiu-me como uma flecha no peito. Pedi com gentileza o pão e o cigarro, ela o fez, olhou pra mim e elogiou minha roupa. Conversamos brevemente a respeito. Pronto, a coisa tava feita, a moça conseguiu sem querer entrar no meu campo. Vou até lá todos os dias realizar as comprar diárias e encontro ela, conversamos sempre brevemente e fica por isso. É gostoso como estou como na adolescência: coração disparado ao vê-la, idealizações e o ânimo que toda essa ideia me traz.
Apesar de tudo, não sei socializar, não fui educado para isso e tenho tentado ajustar esse aspecto da minha personalidade. Ser menos instrospecto e ter menos medo de falar com os outros. Pretendo um dia ir além das breves conversas e perguntar seu nome, número e quem sabe tentar algo?
Em contrapartida, ainda mantenho parte da desconfiança, coisa que se torna meu porto seguro para essa paixão não me cegar e me manter o pé no chão.
É isso, obrigado se leu até aqui e caso vocês desejarem eu trago atualizações. Tenham todos um ótimo dia e uma ótima semana!
submitted by Apophises to desabafos [link] [comments]


2020.09.15 03:47 Initial_Name85703 estou travando uma batalha interna cmg mesmo,

hi, tenho 17 anos e sinceramente eu não tenho mais forças pra continuar desse jeito.
meu teclado está horrivel mas tá ficando entalado e ...
desde cedo eu sempre fui uma criança muito tímida e em mais sensivel que as outras crianças, nunca fui de ter muitos amigos e eu realmente invejava todos que tinham muitos amigos, até amigos próximos q tinham muitos amigos antes de completar 14 anos minha mãe descobriu um cancer de mama, e pra ser bem sincero a vida vai desgastando com todo mundo, eu hj estou sem forças pra ajudar mimnha mãe, sou muito,muito apegado a ela mas eu senti muita saudade do que eu não vivi na minnha infancia, vontade de jogar bola. ter muitos amigos, sair pra beber cokm meus outros amigos adolescentes e com 15 anos eu arranje uma namorada que foi e [é bastante apoiada pelos meus pais (meu pai teve uma familia antes de nós e o filho mais velho dele é gay, isso sempre fragilizou o meu pai, apesar dele amar bastante ele) então era bastante incrivel, perdi minha virgindade com ela e vie e versa, mas na virada do ano de 2019 eu descobri q ela tinha me traido com outra pessoa, no desespero pra não ficar sozinho e voltar a ser eu mesmo, eu perdoiei, passando uns meses eu descobri outra, e outra, e outra que eu confirmei só recentemente, já trai ela, dps q eu descobri isso mas isso relamente não é pra mim,k enfim.
ela passava ferias inteiras cmg em casa e pela saude debilitada da minnha mãe ela sempre cuidou dela, bem mais que de mmim, no inicio de 2020 na virada do ano ela simplismente surtou e me fez passar um mico na frente dos meus familiares e eu passei por isso.
enfim, no inicio da quarentenaq ela veio passsar a quarentena cmg e foi muio bom, mas começou a ficar insuportavel a pessoa dela cmg, em uma noite nós estavamos conversando a luz das elestreas e ela perguntou sobre "se eu tinha vontade de fazer sexo a 3" disse que tinha curiosidade e tal mas foi isso,então ela passou semanas tentando convencer alguem a fazer isso conosco( ela é assumidamente bi) nunca liguei anto apesar da curiosidade, enfim cheou o dia 11 de julho era aniversario do meu avô em outra cidade e no´s fomos, chegando lá eu comecei a beber com os meus amigos e princicpalemnte o meu irmão, mas em um momento minha prima me chamou pra passsar batom nela pra nós irmos sozinhs pro quarto.
bom nesse ponto eu preciso voltar alguns anos pra contextualizar, eu namorava uma garota e ela era de outra cidade meu pai trabalhava fora então ele traza ela sempre q pode, não era um namoro assumido e era bem estranho mas nós estavams, mas minha namorada era muito próxima da minha prima, muito mesmo então eventualmente eu descobri q elas estavam ficando :)
ela namorava o primo da minha namorada ( game of thrones ) e um dia ela sumiu, e eu descobri q ela tinha traido o meu primo com outro cara, então eu me fiquei muito ruim, contei pro meu melhor amigo na epóca e ele espalhou a conversa, mas o namorado dela nunca soube
voltando, enquanto caminhava eu olhei pra tras e vi minha namorada vindo atrás de nós, soube, eu já imaginava oq ela queria, entrei no quarto e minha prma ficou de olhos fechados sentada eu olhei pra trás e ela estava no quarto me encarando quase me pedindo, então eu dei um beijo na minha prima, ela olhou pra minha namorada e elas comecaram a se agarrar na minha frente, minha namorada não disse nada mas minha prima dizia coisas como "tua boca e tão macia" "voces parecem sex education"e ela esfregava minha namorada então minha namorada diz "enfia.."eu exitei por um momento e ea pediu denovo e eu fiz, minha prima pediu pra parar e nós paramos, nos despedimos dali mas eu fui atras dela pra pedir desculpas e ela me ignorou e minha namorava pouco se importava, ela ficou com nó por um tempo e depois foi embora, no outro dia e fui na casa dela fazer outras cosas e eu aproveitei pra conversar melhor e ela disse q era melhor nós deixarmos esse assunto pra lá, viemos embora e na segunda feira eu encontro no twter dela ela dizendo q tinha sido estuprada por nós ,conou q tinha sido a força,etc...
poucos minutos dps minha mãe já sabia e enfim apartir dali meu mundo mudou, eu queria me defenderm mas eu não podia de jeito nenhum, ninguem me escutava, mnha mãe ligou pra cpnversar com ela pra saber de todo ocorrido mas eu não tava em casa tinha saido pra jogar volei, e o dia se passou, no outro dia meu pai levou minha namorada embora e eu fiquei só, minha mãe conversou com a minha prima por ligação e wwp,e no whatsapp ela escreveu" tia eu só fiz isso pq na epóca da #### eu estava me envolvendo com uma pessoa e ele simplismente contou pra todo mundo então eu queria q elesenisse como eu me senti" no tiwtter pouco tempo dps ela já estava debochado da situação "nâo vou denunciar #### mas eu vou destruir a vida social dele igual ele fez cmg :)" na verdade eram bem mas emojis de shitpost, e pra qualquer pessoa q se interessase ela contava a historia de debochava da situação, pouto tempo dps ela percebeu q tava falando algumas coisas dms e ela excluiu as postagens mas já havia se passado alguns dias e eu já tinha printado muitas coisas,minha famiia se duvidiu mas n durou muito lgo todo mundo estava do lado dela e com razão, não sou mais do tipo de ser merecedor de pena, ela disse q não queria mais falar do assunto e etc... passado um mes desde q eu tinha sido'CANCELADO" ela contou pra uma pessoa muito importante pra mim e eu publiquei o maximo q eu pud no meu tt tentando me defender, mas a essa altura eu já falava com umas 3 pessoas, ele ficaram irritados pq eu ainda falava daquele assunto e desde então tem sido ainda mais dificil sem eles, a mãe dela é umapessoa muito extrovertida com o resto da familia do tio q paga grades e grades de cerveja, enquanto nós somos bem mais reservados então naturalmente ele ficaram do lado dela,por causa do tratamento e traumas passados mamae tem depressão e por causa de tudo issso a depressão dela agravou e e la tentou e matar, mas nós somos mais reservados, soubemos puco tempo dps q ela tbm tinha tentado de se matar mas esssa n foi a °1 vez q ela tentou ela já disse no tt q já havia tentado se matar 60 vezes, e eu sei oq é querer morrer, desistir de tudo, se eu tentar me matar vai ser só a 1° tentativa e só mas ninguem se importaria ninguem quer ewscutar a minha versão e eu fico muito triste pq ninguem, ninguem sente falta de mm, me deixa arrasado pq quqando eu conto parece q isso é culpa da minha namorada mas eu sinto tanta falta dela, me deixca triste pq não é a 1° vez q ela difama alguem aleatoriamente, ela diz que odeia o cunhado dela por ser toxico,mas, toxico pq? não tem explicação o cara não sai nem do meo do mato, me sinto trise pq eu acho q tenho depressão mas eu acho tbm q seria desulmilde da minha parte achar isso assim, tbm repudio completamente assedio abuso estupro, tudo, tusdo issso e jogam um fardo desses ma minha costa, eu sinceramente não me matei pq é a minha mãe quem precisa de mim, eu simplismente odeio odeio odeio ela, e sinto muito se ela tiver depresssão mas eu não me importo mais , ela fez tudo isso e esperou o momento pra acabr cmg e ela conseguiu e ninguem vai querer simplismente abraçar minha causa, tbmme sinto horrivel pq parece que eu s´penso em im, mas toda vez q eu lembro disso me dá um peso mo meu peito. desculpa mãe mas eu não fiz isso.
submitted by Initial_Name85703 to desabafos [link] [comments]


2020.09.14 13:44 JustCallMeLyraM8 GT DA BROTHERAGEM

GT DA BROTHERAGEM
/cc/
>eu tenho um amigo bem próximo
>amigo não
>ele é tipo um irmão
>amo aquele filho da puta
>vamos chamar ele de Maicão
>nos conhecemos no jardim da infância
>dividíamos o todynho e o biscoito passatempo no recreio
>bolachaéocaraio.mp3
>estudamos na mesma turma até a quinta série quando os pais dele se mudaram pra longe da escola
>ele continuava morando na mesma cidade, mas tava numa escola diferente
>ainda assim nos víamos todos os fins de semana
>nossas famílias se tornaram amigas também
>tudo era um mar de rosas até o final de 2004
>ano 2005
>entra uma aluna nova na minha turma
>o nome dela era Thais
>lembro como se fosse ontem do momento em que ela entrou na sala
>tudo parecia ter ficado em câmera lenta
>o sol batia nela
>o ventilador soprou seus cabelos
>ela marchava como uma égua manga larga do trote formoso
>paudureci naquele exato momento
>o foda é que eu tava em pé naquela hora e a primeira aula era de educação física
>short.gif
>todo mundo da sala começa a rir de mim e a gritar
>me chamaram de pau retrátil porque foi só a menina aparecer que ele subiu
>morri de vergonha naquela hora
>sentei na cadeira e pus a mochila no meu colo
>eu só queria sumir
>até a professora riu
>mas a Thais não
>ela sentou atrás de mim e disse pra eu não ligar pra eles e que eu ficava lindo com vergonha
>caraio vei não pude acreditar
>eu era tão tímido que pedi pra ir no banheiro na mesma hora e fiquei trancado lá até a hora do recreio
>quando o recreio chegou eu pus o dedo na goela na frente da sala dos professores
>acho que vomitei até meu intestino naquela hora
>comecei a dizer que tava passando mal
>os professores me liberaram da escola e fui pra casa mais cedo
>chego em casa e passo a tarde toda tendo fantasias masturbatórias com a Thais
>eu era tão beta quanto aqueles peixes de briga
>quando a noite chega eu corro pra casa do Maicão
>conto tudo pra ele feliz da vida
>Maicão fica feliz por mim
>brodagem.rar
>segue o jogo
>durante o resto do ano eu iria me aproximar cada vez mais da Thais e me afastar cada vez do Maicão
>ele dizia que ela tava me afastando dele mas eu discordava
>dizia que era coisa da cabeça dele
>o tempo passa
>a Thais é promovida à pitanguinha e a distância entre mim e meu brother ia aumentando cada vez mais
>um dia briguei feio com o Maicão quando ele disse que ela tava cmg só por conta do meu dinheiro
>eu não era rico, mas da escola eu era o mais bem de vida
>meu pai era o único que não tava preso e não trabalhava com drogas
>minha mãe não trabalhava na zona
>zoas ela trabalhava sim
>ela agenciava a tua mãe, aquela puta boqueteira
>zoas de novo, minha mãe era artista plástica
>um dia eu acabo falando pra Thais que o Maicão tava se sentindo escanteado
>ela começa a me dizer que era inveja do nosso relacionamento e que ele só queria nos separar
>acabo dando ouvidos a ela e brigando feio com ele
>putaquepariuqueburrice
>nunca devia ter dado ouvidos à ela
>foco no gt
>paro de falar com o Maicão e cada vez mais me entrego pra a Thais
>toda semana era cinema
>lanche na Mc Donald’s
>roupa na Marisa
>minha mesada começou a ser exclusivamente dela
>um belo dia recebo uma mensagem do Maicão dizendo que a Thais tava me traindo
>respondi mandando ele tomar no cu
>ja faziam uns 5 meses que eu não falava com ele e do nothing ele vinha com um papo desses
>ele disse que eu devia ficar atento aos sinais
>não dou a foda pro que ele diz e continuo o namoro
>na semana seguinte vejo ela com uma marca roxa no pescoço
>ela diz que tinha caído da escada
>eu disse que acreditei mas fiquei desconfiado
>nada me tirava da cabeça oq o Maicão tinha me dito
>procuro ele e conto oq aconteceu
>diferente de mim ele não era um filho da puta
>Maicão me ove e depois me conta tudo que sabia
>a Thais tinha vindo da escola em que ele estudava
>ela era conhecida como viúva negra na escola
>ela se prendia à um macho e sugava tudo dele até ele não ter mais nada
>sim, ela tmb sugava o pau
>não, ela não tinha sugado o meu ainda
>Maicão continua a história dizendo que tinha visto ela saindo da casa de um carinha que morava no mesmo bairro dele
>até aí não vi nada demais
>mas ele me disse que ela tinha dado um beijo na boca do cara na saída e quando virou de costas o cara deu um tapa na bunda dela
>ÉOQ?!
>aquela vadia não tinha nem sequer me deixado pegar na bunda dela ainda
>dizia que era só depois do casamento
>eu era beta betoso full +15
>ela me levava pra igreja todo domingo
>acreditava nela sem questionar
>caio no choro e o Maicão me consolou
>disse que eu não tava sendo um bom amigo mas que ele nunca deixou de me ter como irmão
>bolamos desmascarar ela juntos
>ela ia pra casa dele toda sexta de noite
>realizo que era a hora que a mãe dela saía de casa pra ir pro culto de oração da igreja
>caraio_como_sou_burro.jpeg
>chifre.rar
>no dia seguinte falo com a Thais como se nada tivesse acontecido
>ela diz que me ama
>digo que amo ela tmb
>caraio, eu queria matar ela ali naquela hora
>mas amava aquela desgraçada
>feelsbad.png
>sexta feira
>19h
>tava com o Maicão escondido na rua da casa dela
>avistamos a mãe dela saindo de casa
>corremos pra mãe e contamos a história
>mãe não acredita, mas topa ir com agnt até a casa do talarico
>19:30h
>Thais sai de casa com um short enfiado no cu
>pqp pra quê enfiar tanto ssaporra?
>tava tão fundo que ela devia ta sentindo do gosto dele
>seguimos ela de longe
>a vadia entra na casa do moleque
>nessa hora a mãe dela já queria matar ela, mas eu fiz ela esperar
>entrei dando um chutão na porta da frente
>queria pegar ela com a boca na botija
>e consegui
>infelizmente a botija em questão era a rola do cara
>ela tava engolindo o pau daquele moleque com uma facilidade absurda
>nem sua mãe consegue engolir minha piroca tão fácil
>foco no gt
>Thais leva um susto tão grande na hora que morde o pau do cara
>num ato reflexo por conta da dor o cara da um murro na cara de Thais
>ela cai no chão
>a mãe dela comeca a bater nela com uma havaianas e depois começa a arrastar ela pelos cabelos pra fora de casa
>a Thais é arrastada pela rua até chegar em casa
>racho o bico com a cena como mil hienas comemorando a morte do Mufasa
>peço perdão pro Maicão pela cagada que fiz
>Maicão diz que fui um idiota, mas que era o irmão dele e que nada iria nos separar
>dois dias depois Thais chega na escola toda roxa
>tinha apanhado tanto que o conselho tutelar tirou a guarda dela da mãe
>ela chega perto e diz que quer falar CMG
>ignoro
>ela me puxa pelo braço, olha no meu olho e diz:
>como vc descobriu?
>digo que o Maicão me contou tudo
>ela diz que vai pra um orfanato hoje. Só foi na escola buscar sua transferência.
>Kkkkkjkkjjjk
>ela diz que eu posso rir agora, mas quem ri por último ri melhor. Disse também que nunca iria esquecer aquilo e que o Maicão iria pagar por ser x9
>puxo meu braço, dou as costas e vou embora
>ano 2016
>terminei a escola e faço faculdade
>Maicão faz o mesmo curso que eu e estudamos na mesma turma novamente
>full brothers +15
>desde o episódio com a Thais nunca mais tínhamos brigado
>trabalhávamos, tínhamos nossa independência
>tudo ia bem até recebermos o convite para uma festa que rolaria naquela noite
>eu e o Maicão dividiamos o apartamento agora
>o convite veio por baixo da porta dentro de um envelope
>open_bar.jpeg
>o envelope vinha com 2 pulseiras
>as pulseiras davam acesso à área vip da festa onde rolaria os alcoolismo
>ficamos relutante por um momento até abrirmos a carta
>a carta tava endereçada à mim e ao Maicão
>era uma letra de mulher
>não tinha muita informação só dizia que não deviamos perder a festa por nada e que lá tudo seria explicado
>não tinhamos nada à fazer então topamos
>22h
>party.time.jpeg
>logo de cara fomos recebidos por duas loiras peitudas que estavam de camisa branca
>ambas estavam dançando na entrada da festa enquanto se molhavam com uma mangueira
>séélococuzão.rar
>a festa tinha uma proporção de 4 depósitos para cada homem
>a cada dois homens, um era gay
>era tipo o plenário da câmara dos deputados só que ao contrário
>quando entramos no salão principal todo mundo virou pra a gente
>tipo aquela cena do universidade monstro
>as depósitos cochichavam entre elas
>pensamos que tinha algo errado conosco mas a vdd é que éramos os caras mais lindos dali
>na vdd nem éramos isso tudo, mas tínhamos rola e éramos heterossexuais
>feelsalpha.png
>fomos andando até a área vip
>a decoração da festa era cheia de fotos de uma depósito
>era uma ruiva 10/10
>a festa devia ser dela
>tive a impressão que ja tinha visto ela em algum lugar
>áreavip.gif
>a área vip era lotada de bebidas
>não tinha uma depósito abaixo de 8/10
>no buffet tinha camarão e lagosta
>mano do céu era a festa mais foda que eu ja tinha ido
>quando olho pro lado ta o Maicão atracado com uma mina
>dois minutos depois a mina larga ele e agarra outra mina
>ÉOQ?!
>aquilo tava parecendo um bacanal grego
>uma coisa no entanto me incomodava
>quem teria nos convidado?
>avisto a anfitriã da festa, aquela ruiva 10/10
>ela se aproxima de mim lentamente
>mano do céu, paudureci na hora
>só conseguia imaginar eu enfiando o pau tão fundo nela que quando eu terminasse ia ta na camada do pré-sal
>a calça aperta e ela percebe que estou preparado para o abate
>fico sem graça e tento disfarçar
>ela vem por trás de mim, ri e diz que eu fico lindo com vergonha
>gelei na hora
>caraio, era a Thais - pensei
>pergunto se ela era a Thais
>ela ri e me chama de idiota.
>diz que seu nome é Raquel
>caraio, ela nao tinha nada a ver com a Thais
>errei feio, errei rude
>pensei que tivesse estragado minha chance
>raciocinando com a destreza de um crackudo na fissura e digo:
>é porque thaislinda com essa roupa
>ela ri, eu rio, segue o jogo
>nessas horas eu nem sabia mais que existia um Maicão
>só pensava em mergulhar naquelas tetas magníficas
>na boa, se ela fosse minha mãe eu mamaria até hj
>quando olho pro lado o Maicão tava agarrado com duas ao mesmo tempo
>bodyshot.gif
>caraio o Maicão tava levando uma surra de peito na cara enquanto bebia e eu no 0x0
>me aproximo da ruiva já na maldade
>ela chega do meu lado
>põe a mão no meu ombro e fala na minha orelha direita:
>quem é esse teu amigo?
>poooooooooooorra.mp3
>o moleque ja tinha catado duas e agora ia catar a ruiva
>tive vontade de mandar ela se fuder, mas ele era meu brother, não podia prejudicar ele
>nenhuma depósito ficaria entre nós
>não deu nem 10 minutos do momento que disse o nome dele pra ela e ela ja tava agarrada nele
>a ruiva chupava a língua dele como se fosse o último picolé do verão
>avisto uma depósito 9/10 dançando sozinha
>penso em me aproximar, mas antes que eu chegue a ruiva puxa ela e põe na roda com o Maicão
>ja não entendia mais nada
>eu sempre pegava as depósitos +/10 do que ele e agora ele tava numa orgia de bocas e eu sem nada
>começo a beber
>realizo que ta na hora de baixar as expectativas
>avisto uma ananzinha 5/5 escorada no balcão
>me aproximo dela e pergunto se o pai dela era padeiro
>ela pergunta se era pq ela era um sonho
>eu digo que era pq eu queria comer a rosca dela
>sério que anã rabuda do carai
>a anã me dá um tapão e sai de perto
>vsf que festa merda do carai
>comecei a beber descontroladamente pra compensar a frustração
>dou em cima da garçonete
>a garçonete era uma trans
>ela me esnoba e vai embora
>vômito.rar
>caraio nem a mulher com rola me quis
>decido que hoje não é meu dia e que ta na hora de voltar pra casa
>procuro o Maicão pra ir embora cmg
>vejo ele entrando no carro com duas 1,5 depósitos
>pensei que ele tivesse indo pra um motel ou algo do tipo
>ele tava de mãos dadas com a ruiva e com a anã 5/5
>a ruiva olha pra mim, da uma risada e depois um xauzinho
>caraio que raiva daquela ruiva
>me esnobou e agora vai dar pro meu brother
>faço sinal pro Maicão que vou embora
>ele grita “Oklahoma”
>era nosso sinal secreto
>significava que ele ia realizar o ato de socação intra uterina e que eu não deveria incomoda-lo
>entendo o recado, dou meia volta e volto pra casa
>chegando em casa
>tudo girava por conta do álcool
>brinco um pouco com o o Visconde de Sabugosa até ele cuspir
>durmo
>no dia seguinte acordo com dor de cabeça, deitado no sofá
>percebo que tinham 537272717 chamadas não atendidas no meu celular
>todas do Maicão
>imagino todas as desgraças do mundo
>comeco a ligar de volta mas ele nao atende
>recebo uma ligação de um número desconhecido no meu celular
>é uma mulher
>ela ria descontroladamente
>disse que estava na festa o tempo todo me observando
>pergunta se a noite foi boa e se eu peguei alguém
>mando ela tomar no cu e digo que peguei a mãe dela
>ela racha o bico e diz que é impossível pq a mãe dela foi a primeira a pagar oq devia
>gelei na hora
>reconheci a voz
>era a Thais
>ela começa a contar seu plano do mal
>diz que foi parar num orfanato depois daquele episódio
>que apanhou muito da família onde foi parar mas a família era podre de rica
>a família produzia festas tipo o tomorrowland
>viajaram pra fora do país e levaram ela junto
>disse que por muito tempo quis se vingar mas a família não dava a foda
>dois meses atrás a família tinha morrido num acidente de carro e ela ficou como única herdeira
>ela pôs como meta de vida concluir a vingança que passou anos arquitetando
>disse que a festa foi planejada por ela
>que todas as depósitos da área vip foram contratadas por ela baseadas no meu tipo de mulher
>pergunta como me senti não pegando ngm e vendo o meu “amiguinho” catando todas
>respondo que a vingança dela era uma merda e que tava feliz pelo meu brother
>ela racha o bico e diz que a vingança dela não era me deixar sem pegar ngm
>ela queria se vingar dele por ele ter dedurado ela
>pergunto qual vingança há em encher a rola dele de depósito
>você verá - ela me disse
>desligo o espertofone e percebo que chegou uma mensagem do Maicão no oqueapp
>faz uma semana que o Maicão toma mais coquetel que o Amaury Jr.
pica relatada da mensagem
https://preview.redd.it/9o5g9y8ep3n51.jpg?width=1080&format=pjpg&auto=webp&s=3dbefd7c59d10e7b40b9168ddac79176762f8591
submitted by JustCallMeLyraM8 to gtsdezbarradez [link] [comments]


2020.09.14 08:18 Krahmukoslovisk Término, mestrado e mudança de vida

Ano passado me formei em veterinária e próximo ao fim do curso tive episódios de depressão e ansiedade por conta de dois professores que fizeram questão de me atormentar a paciência. Na época estava namorando e isso afetou muito minha relação, porém seguimos o namoro. Tivemos vários momentos de "vai e volta" primeiro por que estávamos morando muito longe um do outro (ela em Curitiba e eu interior do espírito santo) e segundo porque não tínhamos grana pra nos vermos . Ela estava em final de faculdade também, os pais dela não ajudavam em quase nada e acabei me endividando pra ajudar ela a pagar alguns cursos. Com a pandemia tudo ficou pior, eu trabalhava em um consultório, onde aparecia paciente 1 vez por semana as vezes nem isso, quando chegavam reclamavam do valor da consulta e exames ( 50 conto de hemograma e 90 de consulta) estava me sentindo o Julius de todo mundo odeia o Chris, tava pagando pra trabalhar no meu primeiro prego fixo. As coisas foram piorando no namoro até que decidimos terminar, há uns 2 meses, e ao mesmo tempo passei no mestrado em uma universidade particular, consegui um emprego descente, estou morando sozinho. Estou estagiando no hospital em horário comercial, assisto aulas a noite e pego plantões todo fim de semana para não me sentir sozinho e com saudades da ex (que aliás ainda amo). Meus amigos das antigas estão com suas vidas encaminhadas e fazendo planos e marcando roles, meus colegas daqui não me chamam pra assitir um filme se quer. E estou com medo de voltar aos tempos sombrios. Obrigado por lerem até aqui, se é que tem alguém que leu. Precisava falar pra alguém.
submitted by Krahmukoslovisk to desabafos [link] [comments]


2020.09.12 01:27 sheisice Crise existencial? Qual o sentido da vida?

Estou a escrever este desabafo novamente porque ontem o apaguei sem querer. Há uns dois dias sai com duas amigas minhas e antes que digam que não respeitei a quarentena, moro em Portugal, onde a quarentena acabou há meses. Continuando...
A maioria dos meus amigos já trabalha ou estuda na faculdade enquanto que eu, por ter 'acabado' a escola mais tarde, não faço nem um nem outro. Pretendo começar a trabalhar ainda este ano mas esse não é o tema deste desabafo. É frustrante para mim saber que não posso compartilhar experiências parecidas com as dos meus amigos pois parece que estamos em fases diferentes de vida mesmo com a mesma idade. Sei que este ano não vou poder entrar na faculdade e que provavelmente no próximo ano será a mesma coisa mas mesmo que entrasse, acho que a faculdade já não teria o mesmo significado para mim como antes. E sim, eu sei que a vida não se resume em fazer um curso, trabalhar para construir uma família, apesar da nossa sociedade ver isso como o básico para uma pessoa ser minimamente feliz.
Então quando saí com as minhas amigas, o que deveria ser um encontro alegre tornou-se sufocante.
Elas as duas estudam o mesmo curso mas em faculdades diferentes, ambas acabaram o primeiro ano e claro que ficaram muito entusiasmadas em compartilhar isso comigo. Eu fiquei feliz por elas. No entanto, 90% da conversa que tivemos foi sobre o curso delas(não estou a brincar quando digo isso) e foi ai que comecei a desejar voltar para casa. Não queria sentir inveja ou algo do tipo mas também não queria ficar aquele tempo todo a falar só de faculdade quando elas mesmas estavam de férias! Eu pedi para falarmos de outros temas além do curso delas e elas concordaram. Falamos um pouco sobre o que cada uma fez durante estes meses e claro que elas tinham novidades para contar (namoro, passeios, a vida dos nossos amigos, etc) enquanto que eu não tinha nada de emocionante para contar pois passei praticamente estes meses em casa, mesmo quando a quarentena acabou aqui em Portugal.
A conversa continuou e uma das minhas amigas que tem o costume de interromper a conversa para falar dela mesma, não parava de nos interromper. Tivemos até que lhe explicar que ela estava a interromper e ela pediu desculpa. Ela costuma fazer isso mas não o faz com arrogância, apenas fica muito entusiasmada. Todos temos defeitos, né? Então quando essa minha amiga recebeu uma chamada, a minha outra amiga começou a falar comigo e foi ai que eu comecei verdadeiramente a falar, sem frases soltas ou monossílabos. Até a minha amiga comentou isso, que enquanto a outra falava por chamada, eu comecei a falar.
Durante a conversa, comentei sobre ter pensado no verdadeiro sentido da vida pois passei estes meses a me questionar muito sobre isso. E quando elas me perguntaram qual era o sentido da vida para mim eu respondi algo como "O sentido da vida para mim? Acho que é sobreviver!". A frase soou deprimente pois as repostas delas em relação à pergunta foram muito mais interessantes e cheias de sonhos como "acabar a faculdade ou marcar a diferença ajudando alguém e bla bla". E mais uma vez senti-me uma idiota.
Elas voltaram a puxar o assunto faculdade, começaram a falar sobre as matérias do curso que eu não entendia nada mas sorria e fingia adorar ouvir tudo. Elas se aperceberam que estavam a falar demais sobre isso e pediram-me desculpas mas sempre voltavam para o mesmo. Algumas vezes ainda tentavam que eu falasse sobre outras coisas mas eu não tinha nada de interessante para dizer. Comecei a desejar que o dia acabasse logo e felizmente uma delas disse que tinha que ir para casa e eu aproveitei para também sair dali.
Quando cheguei a casa chorei. Sentia-me uma falhada e vazia por dentro. Percebi que a minha vida está parada, fechada numa bolha, porque eu não faço nada para mudar isso, simplesmente fico no conformismo. Quero emoção, algo novo na minha vida mas estou cansada de viver. Quero pessoas verdadeiramente interessadas em me conhecer profundamente pois sinto que a maioria que me cerca não quer saber de mim de verdade, talvez me achem muito burra ou apenas apagada...Mas como posso querer que me conheçam profundamente quando nem eu faço esse esforço por mim mesma? Será que devo mesmo me esforçar mesmo sabendo que não valerá mais a pena pois vou morrer um dia?
E não, não me vou suicidar. Apenas estou cansada. Sinto que a vida não tem significado. Fazer x cursos, ser dono de uma empresa ou construir uma família. Tudo isso um dia vai acabar quando a morte chegar e eu só quero que ela chegue. Sei que estou numa crise existencial a encaminhar para uma depressão. Sei também que este texto ridículo não me vai levar a lado nenhum mas estou cansada. Só quero perceber o sentido de colocar vida na terra para depois sofrermos. Pessoas vivem com a dor e falta de itens básicos na vida enquanto que eu, com os pais vivos, um teto e amigos, sinto-me vazia, estranha...
Qual seria o sentido da vida se não sobreviver? Os últimos meses foram intensos para todos nós e isso só me fez ver que não tem necessidade nenhuma estarmos vivos. As pessoas sofrem, uns mais que outras. É inevitável. Estou cansada de ver tanto sofrimento para depois saber que vamos todos morrer.
O mais engraçado nisto tudo é que eu faço parte daquele grupinho de pessoas que acredita em vidas passadas (sim, não me julguem). Então, sendo eu uma pessoa que acredita no reencarne e desencarne, devia saber que a vida apesar de efêmera, terá continuidade noutra vida e que não estamos aqui nesta vida por acaso. Só que ultimamente esse pensamento criou-me mais incertezas do que certezas. Porque se de facto vidas passadas existem, eu não quero reencarnar novamente. A vida já é tão exaustiva para reencarnar novamente...
É isso. Eu não quero tirar a minha vida, apenas quero que a vida me tire dela.
Enfim, obrigada se chegaram até aqui. Peço desculpas pelo desabafo cheio de contradições e erros ortográficos. Se quiserem dizer algo, fiquem à vontade!
submitted by sheisice to desabafos [link] [comments]


2020.09.11 18:39 Enscie Garotas mais novas estão se atraindo por mim

Opa pessoal, eu tenho 24 anos, mas não aparento... Não sou virgem e tal...
Ultimamente tenho notado que garotas mais novas no meu bairro, entre 14 e 18(apenas uma) tem se atraído por mim... (Vejo olhares, os moles, abertura para conversa, ai pergunto idade e vaso... kkk)
Mas eu me sinto desconfortável com moças mais novas, sei que após 16 pode rolar namoro se os pais permitir e sexo se ela consentir... Mas me senti quebrando uma lei ou violando a menina se for menor, sendo sincero me sinto melhor se tem mais de 21, fico mais tranquilo. Mas talvez oq sempre me relacionei com gente mais velha, minha Ex 26, e antes dela mulheres de 27, 38 e 40 anos.. E não sei se namorar uma jovem de 16 ou 17 seria legal mano... E nem sei os gostos e tal.. me sinto perdido... o que vcs podem dizer sobre isso?
Eu quero namoro sério, fidelidade e querer estar comprometido com o crescimento mutuo...
submitted by Enscie to desabafos [link] [comments]


2020.09.11 05:35 nikkyx3 eu to morrendo

desde criança tenho aguentado umas paradas que me deixaram meio mal, meus pais se divorciaram quando eu tinha 3 anos, foram anos de adaptação e eu vivia mudando de casa a cada 2 anos, cresci uma criança introvertida, tímida e sem amigos, quando eu fiz 12 anos decidi parar, fui morar com o meu pai (causador de todo o alvoroço) pq ele continuou morando na minha cidade natal. Desde então a minha vida é um inferno, eu tomava esporro sempre em casa, sofria bullying na escola e não tinha com quem conversar, e foi assim até 2018, eu já sofria com crises de ansiedade, solidão e tinha vários pensamentos suicidas, a minha rotina continuava a mesma, sofria bullying na escola, em casa eu não era feliz e não saía, até que no segundo semestre de 2018 eu tive a pior semana da minha vida, eu tava sofrendo em casa e o pessoal da minha sala tirou essa semana pra me zoar, eu tava caindo aos pedaços, até que decidi pedir a menina que eu gostava em namoro, ela recusou e quando eu cheguei em casa eu só não consegui chorar, não lembro muito do resto dessa semana pq eu tava muito angustiado, fiquei pelo menos umas 2 semanas sem conseguir sorrir de verdade, a ansiedade remoía a minha cabeça por dentro, e eu tentei me matar e não tive sucesso.... Desde então eu não lembro da última vez que eu sonhei ou chorei, não tenho nenhum amigo pois não consigo socializar e toda a rotina de merda de dois anos atrás recomeçou, eu não consigo suportar, meu peito dói, minha cabeça dói, e ninguém sabe o que eu to sentindo, não tem ninguém próximo de mim que me entenderia, eu já tentei, se eu não passar dessa noite eu peço desculpa a todos, eu não fui forte o suficiente...
submitted by nikkyx3 to desabafos [link] [comments]


2020.09.09 22:37 TiaSayu Fui babaca por humilhar minha mãe depois dela ter contado o noivado surpresa que meu namorado preparou?

Yo Mina, Daijobu deska? ♥
Hoje vou contar mais uma desgraça da minha vida e tentar rir com ela pq realmente, tá complicado...
Vim aqui desabafar uma coisa que anda me machucando a cada minuto que passa. Minha mãe sempre foi uma pessoa difícil de lidar... O temperamento dela nunca se deu bem com o meu, e isso já causou muitas brigas e discussões entre nós duas. Uma vez já postei aqui uma outra situação entre nós duas (Acho improvável que alguém se lembre, estava em outra conta na época, mas tentarei repostar para quem queira ler.)
Enfim, sem mais delongas, vamos direto ao desabafo... Semana que vem será meu aniversario de namoro (12/09) vamos completar dois anos de namoro e tudo corria bem. Estávamos preparando nossos presentes e eu estava ansiosa por mais um Level up na relação. Lutamos muito para seguir com esse relacionamento fantástico, e dou graças a Deus por tudo ter dado certo. Somos felizes e tratamos um ao outro com muito respeito e carinho, e não deixamos de ser melhores amigos mesmo na relação de namorados (Não acredito nesse lance de ''há diferença entre amigos e namorados'' é muito melhor ser os dois em vez de escolher apenas um) Enfim, vamos direto ao ponto.
Minha mãe hoje (09/09/2020) veio até mim e me pergunta ''Você e o Carls (Não vou expor) Vão ser noivos?'' A reação que eu tive foi de choque e surpresa, meu pai e minha irmã tiveram a mesma reação e tudo ficou em um silêncio desconfortável.
Logo eu perguntei, incrédula: ''Ele vai pedir minha mão?..''
Depois disso minha mãe arregalou os olhos assustada, vendo que eu não sabia de nada sobre os planos dele. Eu, logicamente, me emocionei e desabei a chorar. Minha mãe, doce como sempre, disse: ''Pare de chorar e controle-se. Larga de ser tonta e pare de chorar'' Além de outros comentários calorosos para o consolo de minha pessoa. Nisto, meu pai interveio e falou: ''Você tinha que abrir a boca? Você achou mesmo que ela soubesse disso?'' e foi assim que tudo explodiu... Minha mãe estava sendo fria como sempre, ela nunca se importou com coisas que feriam meu emocional e psicológico, tudo na visão dela era ''banal'' e ''frescura'' e eu me cansei disso. Minha reação foi imediata e refutei ela de varias maneiras e isso se tornou uma briga feia. Ainda mantive minha educação, mas fui bem sincera e ela não gostou disso (Por que né, a verdade dói) e ela começou a envolver minha sogra e meu namorado, humilhando os dois para ver se conseguia ganhar nos argumentos que eu lançava. (Um detalhe importante... Quando eu estou prestes a discutir com alguém, sou bem linguaruda e irônica demais, isso de certo irrita qualquer um. Mas em nenhum momento a ofendi e nem disse nenhum palavrão, apenas disse algumas verdades que ela não gostou. Obviamente)
Como sempre ela apelou na presença do meu pai e se fez de coitada, saindo da discussão como vitima de uma filha má. Meu pai pediu educadamente para eu pedir desculpas, já que ''peguei pesado com ela''. Me neguei até o momento e não estou disposta a mudar de ideia só por que ela é minha mãe.
Não foi a primeira vez que ela estraga um prazer meu com sua frieza. Ela já errou comigo varias vezes e fui compreensiva em perdoar. Já eu, quando erro, só falta ser exposta para meio mundo e ser humilhada na frente de quem for; O que ela diz e faz, não é exagero na visão das outras pessoas (O que eu acho doentio de certa forma, por que não deixa de ser uma atitude toxica)... Ela pode destruir minha auto-estima e isso não costuma ser exagero por que né, ela é minha mãe e tals.
Na minha opinião não acho isso. Só por que é mãe ou pai não significa que eles tem o Direito total de fazerem exatamente o que querem ou falar o que querem e quando querem, e a criança/adolescente tem que aceitar e pronto. Eu posso ter sido errada em ser grossa e etc, mas eu realmente fiquei chateada pelo o que aconteceu e creio que toda menina (Pelo menos quase todas) teriam essa reação diante de uma resposta tão fria em um momento considerado especial na vida de uma mulhecasal. Meu namorado confiou nela para não contar e ela me faz isso? Além de ter sido um erro grave e um desrespeito com a nossa relação, ela ainda quis se justificar com frieza e grosseria? Eu realmente não deixaria isso barato e foi o que eu fiz.
Então... Fui babaca em fazer isso com ela?
submitted by TiaSayu to desabafos [link] [comments]


2020.09.08 20:05 Thiago_Rangel Eu SOU COVARDE?? Como lidar com esse MEDO da COVARDIA??

Então, eu namoro há 4 anos, e tipo eu comecei, na época eu era bastante imaturo e tal, não sabia lidar com algumas situações, por exemplo um dia meu colega abraçou minha namorada por trás e eu fiquei com tanta raiva que para não bater nele e ir para diretoria eu fugi para o banheiro (também fiquei meio ?-? com a reação dela, mas éramos imaturos e vemos que não foi legal), não me senti mt bem com aquilo, pois eu bem que podia ter batido nele, uma suspensão não mataria ngm, mas era a primeira vez que eu presenciei aquilo, não sabia o que fazer direito, só sei que fiquei com muito ódio, isso acontecendo no primeiro ano de namoro. 1 ano depois, mudamos de colégio e lá teve um caso de um menino, que aqui chamarei de Perebento, que bateu em uma menina aí, e minha namorada ficou super revoltada com isso, arrumou uma briga verbal com ele na sala, e ele disse que iria bater nela se caso ela fizesse algo com ele, e que não tinha medo do pai dela (que é policial), e minha namorada falou algumas coisas que não me lembro, mas só sei que ela tava com uma alta moral e fiquei bastante orgulhoso, mas na época eu n fiz nd, só fiquei observando a briga, eu estava perto dela, eu lembro que fiquei nervoso e nãodisse, mas me arrependi mt depois de não ter feito nada, eu deveria ter mostrado a ele que ela n estava sozinha e que se ele tentasse algo contra ela eu ia fazer de tudo pra defender ela e tal, a professora reclamou rapidamente e a briga parou e isso foi mais um motivo para eu n ter falado nada, mas me arrependo, deveria ter puxado briga com aquele pescoçudo cheio de perebas. Tirando isso nada mais aconteceu que eu lembre, mas eu tenho bastante medo de algo acontecer. Já dei um soco num lazarento um dia, mas aí vem o X da questão, demorei muito para dar esse soco, reclamei umas 3 vezes, como não surtiu efeito, tive que partir pra agressão, o garoto foi expulso até, os motivos da briga foi que ele tava tirando algumas brincadeiras com minha namorada q eu não gostava, e tb tava tirando brincadeira comigo. Mas eu não sei, eu tenho um certo medo de tipo alguma coisa com minha namorada e eu não fazer nada, ou eu fazer algo de errado, como lidar com isso?
submitted by Thiago_Rangel to desabafos [link] [comments]


2020.09.07 23:19 Abarross O que fariam no meu caso ?

Até 2015 eu era uma pessoa normal... Tinha vida social e realmente era feliz... Mas passei por 3 traumas grandes na minha vida!
1 - meu pai ficou doente, tivemos que mudar de estado, deixei amigos, namorada, faculdade, vida social e etc.
2 - conheci uma pessoa nessa nova cidade, começamos a namorar, fomos morar juntos, algum tempo depois a relação esfriou e ela me largou, eu tava apaixonado por ela e foi meu primeiro namoro sério... daí fiquei com raiva das mulheres(generalizei), fiquei com baixa autoestima, complexo de inferioridade, ansiedade e depressao....
3 - meu pai faleceu, acho que arrancar um braço seria menos doloroso que essa perda. Me afundei no cigarro, junto com os problemas do segundo trauma, minha família se afastou um pouco de mim, minha mãe meio que me culpa, não sei o porquê, mas tudo bem!
Atualmente me livrei do cigarro faz um ano, to treinando, melhorei o corpo e um pouco da alma Mas ainda tenho complexo de inferioridade, ansiedade, baixa autoestima, medo do futuro e raiva das mulheres, minha relação com minha mãe e horrível, e pra completar minha mãe virou amiga da minha ex.... e infelizmente dependo financeiramente da minha mãe até receber minha parte na herança.
To sem rumo, sem vontade de fazer nada na vida, sem vida social, sem amigos, sem sexo, sem prazer nenhum.... Minha vida se resume a academia e voltar pra casa e ver YouTube, e to tentando terminar minha faculdade de biomedicina, mas a vontade ta indo embora
To pensando em pegar a grana da herança e ir embora ou pros eua, Portugal, russia... So quero ser feliz de novo.
submitted by Abarross to desabafos [link] [comments]


2020.09.07 08:06 arrux1 Eu estou exagerando ou sendo c*zona? Pessoa morando com a família sem consentimento de todos

A minha vida quase toda morei com meus irmãos e minha mãe na casa dela (onde estou atualmente). Porém, em 2016 mudei-me para o Rio de Janeiro por conta da faculdade e fiquei voltando a minha cidade natal apenas nas férias. Com a pandemia consegui homeoffice do estágio e EAD e regressei a casa da minha mãe em março pois achei que seria uma boa ideia ficar mais próximo da minha família nesse momento (risos) e estou temporariamente aqui até agora...
Meu irmão mais velho arranjou uma namorada (eles namoram + ou - a 2 anos) que é sócia de trabalho dele. No inicio do relacionamento ela aparecia de vez em quando aqui em casa, e quanto mais a produção do trabalho deles aumentava mais a frequência dela por aqui tb aumentava. Eu nunca tive problemas com a presença dela antes, até pq passava a maior parte do meu tempo no Rio. Porém, no terceiro mês que regressei a casa da minha mãe, em meados de junho, comecei a achar estranho o fato que ela ficava 24/7 aqui em casa, comia, dormia, ia pro trabalho, voltava e ficava direto por aqui.. porém relevei por questão da pandemia... era compreensível. Meu irmão do meio começou a ficar um pouco incomodado com isso tb pq jamais em nossas vidas trouxemos parceiros para passar tanto tempo nessa casa (até pq no passado, nossa mãe nunca permitiu) e segundo ele, essa situação já estava acontecendo bem antes da pandemia (meu irmão do meio também tem namorada atualmente e ela só apareceu por aqui nesse período algumas poucas vezes). Para além dessa situação, eu não me sinto muito confortável quando pessoas que não são do convívio diário passam muito tempo no lugar onde moro interruptamente, sinto que é uma invasão de privacidade (isso acontece também no meu apartamento do Rio com visitas que ficam mt tempo as vezes, mas converso com minha house mates e sempre resolvemos as situações numa boa - moramos a 4 anos juntas).
O tempo foi passando, eles começaram a comprar uma cama nova, microondas... até que minha mãe hoje confessou pra mim que achava que a menina tinha entregado o apartamento dela e estava morando aqui em casa (ela faz univ fora e n tem família aqui). A questão é: quando eu ouvi isso, eu fiquei muito puta!
Cara eu achei um absurdo a situação. Como é que uma pessoa se muda pra casa que eu morei minha vida quase toda e não conversa com ninguém? Tipo, eu entendo que estamos numa pandemia, ok, mas a menina se mudou sem previsão nenhuma de volta e não falou nada sobre isso. Como é que alguém vai comendo pelas beiradas e do nada PUFF se muda pra sua casa? Eu achei bizarro pra crl sendo que nem noivos eles são nem nada, é um namoro de 2 fucking anos.
Eu me senti desrespeitada pois não fui consultada e dividi isso com minha mãe. Falei que não gostei da forma que as coisas foram feitas, como é que se mudam pra uma casa com uma família morando e não consultam os moradores? Ela me respondeu que achava que eles iam casar em breve pq "a menina queria muito" e como mãe, queria dar o apoio nesse momento.
A menina não conversou nada com minha mãe que ia se mudar pra lá e aparentemente ela não ta ligando muito pra isso... Porém minha mãe ficou chateada pq eu fiquei afetada. Mas eu não acho que estou errada... enfim, de qualquer forma já estou vendo passagens para regressar ao Rio no próximo mês pois meu trabalho vai voltar presencial em breve, mas está me preocupando o fato dessa situação se alargar por muito tempo... tenho medo de ter que voltar pra essa casa por questões financeiras no futuro (vou fazer de tudo para que não) e ter que conviver com mais uma pessoa que não escolhi (como se não já bastasse a relação conturbada com meus familiares). Eu jamais me mudaria pra casa dos pais de um namorado sem conversar com a família dele antes nem traria pra morar comigo assim sem mais nem menos. Enfim, vocês acham que eu estou exagerando? É legítima minha indignação?
Nota: Meu irmão mais velho já teve relacionamentos muito mais duradouros no passado de 5, 6 e 8 anos e isso NUNCA rolou antes, nunca tive esse problema com nenhuma delas. Nem com namorados meus ou namoradas do meu irmão do meio.
Nota2: Aparentemente essa menina quer muito casar com ele e eles se dão bem, mas não sei se meu irmão quer...
Nota3: Todos os moradores da casa são adultos maiores de idade.
submitted by arrux1 to desabafos [link] [comments]


2020.09.07 04:46 CraftedBot Oi pessoal, preciso desabafar

Oi pessoal, sei que o grupo não é muito ativo e que ninguém aqui deve se importar comigo. Mas aconteceu algo muito pesado comigo essa semana e esse grupo é o único lugar em que eu sinto que posso desabafar e ser ouvido sem que me julguem. Eu e minha namorada namoramos há quase dois anos e em todo esse tempo quando ficamos juntos é na minha casa ou em qualquer outro lugar, exceto a casa dela. O pai dela me despreza. A primeira vez que nos conhecemos ele foi legal e simpático, até que perguntou o que eu fazia da vida. Estudo ciências sociais na USP, quando eu disse isso ele fechou a cara na hora e mudou de assunto. A família deles é bem humilde, o pai dela tem um barzinho/restaurante onde toda a família trabalha, exceto minha namorada, que é a filha mais nova e foi a “escolhida” pra ser “alguém na vida”, então o pai dela é bastante protetor. Depois da revelação de minha carreira acadêmica a janta mudou, a conversa continuou em outros assuntos, mas eu fui completamente excluído dela, a única pessoa que tentava me trazer pro assunto era minha namorada, mas a mãe o pai e os irmãos dela me ignoravam completamente. Quando cheguei em casa ela me mandou uma mensagem dizendo que o pai dela tinha mandado ela terminar comigo, falando que eu era vagabundo, não prestava e ia só atrapalhar na vida dela. Ela cursa direito e pra família dela eu sou um peso que ela vai ter que sustentar. Isso foi no primeiro mês de namoro, eu estava completamente apaixonado por ela (e ainda estou) e disposto a enfrentar qualquer adversidade para que o nosso namoro seguisse. O único dia que o restaurante deles não abre é domingo, então fui lá logo na outra semana pra resolver qualquer desentendido. Quando cheguei a família toda estava vendo Faustão, inclusive as namoradas dos irmãos e ninguém quis conversa comigo, sequer levantaram do sofá para me cumprimentar. Não quis atrapalhar o programa então eu e minha namorada fomos para o quarto esperar uma situação mais propícia para o diálogo. Mal havíamos fechado a porta e vem o pai dela batendo com tudo na porta e escancarando ela (ele não é alto, mas é daqueles carecas gordinhos com cara de brabo que quando vestem regata, bermuda e havaianas ficam parecem um botijão gigante.) ele começa a gritar que não queria porta fechada nem vadiagem na casa dele e deu um discurso cheio de indiretas me chamando de vagabundo e praticamente me expulsando da casa deles. Não fui embora. Ficamos estudando e de quando em quando o pai ou um dos irmãos ia ver o que estávamos fazendo. Diversas situações similares foram acontecendo até que decidimos que era melhor desistir e evitar a família dela. Fomos assim por mais de um ano. Nesse tempo eu fui estudando mais sobre o agronegócio e a indústria da carne e decidi virar vegetariano em junho do ano passado. Conversamos bastante sobre isso e ela sempre foi muito interessada, até que semana retrasada ela decidiu virar vegetariana também. Ela, é claro, não contou pra família dela porque medo de que iriam surtar, mas convenci ela que se abrir pra eles seria a melhor coisa, que eles iriam entender e que eu poderia ir com ela. Esse foi meu erro. Ela achou legal de fazer a revelação no restaurante da família, servindo um prato vegetariano pra mostrar que é fácil e possível. Como eu já disse, o restaurante é bem simples, o buffet é basicamente arroz, feijão, batata frita, bife e umas saladinhas (por saladinhas entenda alface, tomate e de quando em quando salada de batata). Quando saímos da faculdade fiz questão de pedir um Uber pra gente chegar no restaurante mais rápido enquanto o pai dela não tá no horário de descanso (ele dorme numa rede nos fundos do bar). Chegamos lá perto da uma da tarde. Era quarta feira e o lugar estava bastante movimentado. O irmão dela, que fica no caixa, deu um sorriso quando entramos, mas desfez logo que viu que a irmã trouxe o namorado. Minha namorada vai pro caixa falar com o irmão dela e diz pra eu já ir me servindo e procurar um lugar. Eu to bastante nervoso e me arrependendo desde que vi a cara que o irmão fez ao me ver, mas me sirvo mesmo assim. Já estou com o prato servido e vou até ela, agora atrás do caixa falando com o pai e com a mãe, paro, os pais dela me olham, meu sogro com a cara fechada sequer acena com a cabeça pra mim. Minha namorada faz um sinal com a mão me chamando. Vou até ela, ficando desconfortavelmente próximo do pai dela. Ela pega a minha mão, eu fico segurando o prato com uma só e diz: “Eu decidi virar vegetariana”. Ela sequer havia terminado a frase, bastou o pai dela ouvir “virar vegetariana” que ele virou a cabeça com uma velocidade descomunal em minha direção, mas ele não olhou pra mim, como eu pensei que faria, estava olhando pro meu prato. Arroz, feijão, alface, batata frita e nada de carne. Eu olho pro prato também percebendo agora meu erro e quando ergo a vista ele me encara com aqueles olhos furiosos. Não fui capaz de absorver inteiramente o quanto de ódio existiam naqueles olhos, porque ele deu um tapa no meu prato de baixo pra cima, sujando minha camiseta azul celeste do Carl Sagan de feijão e interrompendo qualquer raciocínio que corria pela minha mente. O prato estraçalhou no chão e antes que o quebrar do vidro pudesse irromper pelo restaurante e o burburinho dos clientes fizesse perceber-se silenciado meu sogro já estava gritando. “TU FEZ ISSO COM ELA!” “ESTRAGOU MINHA FILHA!” ele me dá um empurrão contra o balcão, minha namorada recua assustada, eu tento sair pelo lado, mas ele bloqueia o caminho, minha namorada chorando tenta segurar ele, mas minha sogra a segura mais forte. “VAI JOGAR NO LIXO O ESFORÇO DA MINHA VIDA TODA! SEU MARGINAL!” Eu tava bem passivo até que ele falou isso, ele não sabe quem eu sou, só tem preconceitos contra mim. Não sabe o quanto eu amo a filha dele e o quanto só quero o melhor pra ela. Eu já tinha tentado expressar isso no diálogo, agora ia ser na porrada, sem palavras, só sangue. Dou um empurrão com toda minha força e na fresta de tempo que abre eu pulo o balcão pra ter mais espaço para brigar, já enquanto pulava vejo uns tiozinhos numa mesa, sob ela uma litrão de Skol que eu penso em usar como arma. Pulo o balcão, pego a garrafa, enquanto isso ele veio dando a volta no balcão que nem um touro pra me pegar. Segurando a garrafa pela boca eu bato ela na mesa, o vidro se quebra e eu ergo a ponta estraçalhada e afiada diante de mim, pronto para defender minha honra e a de minha amada daquele botijão colossal. Com a garrafa diante de mim e a criatura se aproximando eu olho por um instante para o vidro amarelado que seguro em minhas mãos. Vejo, no reflexo, a entrada do restaurante atrás de mim, e passando rápido pela rua o que parecia ser uma aeronave pequena não tripulada, logo atrás uma espécie de exoesqueleto metálico armado com uma metralhadora, de repente, um estrondo ensurdecedor seguido de um clarão. Era o início da era das máquinas.
submitted by CraftedBot to copypastabr [link] [comments]


2020.09.06 08:25 Astronaut456 Estou Webnamorando....

Eu sempre fui um cara bem social, conversava bem com as pessoas e não tinha medo de conhecer e fazer novas amizades, mas a partir do 1°Ano Escolar eu acabei me sentindo mais entediado, algo que pretendo desabafar também outra hora. Mas como tava falando sempre fui muito social, mas partir de um tempo fiquei mais antissocial não entendo como fiquei assim do nada, mas parei de falar um pouco com meus amigos e fiquei mais na minha, e depois voltei a falar mais com eles, só que no começo da quarentena conheci uma garota partir de um post em um grupo de Animes e tal, e nos dois acabamos se dando muito bem, achávamos que a gente era da mesma cidade, mas no final eu sou do Sul e ela de SP e isso me deixou mal pq estava gostando dela e ela de mim, um dia pedi o whatsapp dela e conversamos muito até eu chamar de brincadeira ela de Webnamorada, e ela falou que nunca tinha pedido ela em namoro, então eu pedi....e ela aceitou e fiquei feliz, nós dois por chamada falando que a gente se ama e tal, ela terminou a escola e eu estou no último ano, pretendo ir até ela e assim a gente ficar junto, até fizemos planos pra morarmos juntos e não me importo até pq eu planejava antes ir pra SP depois de terminar a escola, não quero continuar morando com os meus pais e quero sair de casa bem cedo..., só que me sinto mal por não poder ter ela comigo e triste, e ela sente isso também eu acho, eu nunca tive um relacionamento assim, sempre falei pra ela que Webnamoro não era algo que eu achava legal e nem me imaginava fazendo TIPO NUNCA, eu acho até meio chato e triste por um ponto, mas eu amo ela e ela me ama, então tentamos fazer isso rolar, ela até planejava ir pra Pelotas pra tentar uma faculdade e eu falei que iria junto com ela pra não ficar sozinha e ela gostou da idéia, mas ainda me pego triste, pq eu odeio estar longe dela e acho péssimo as vezes ter a companhia dela só pela tela de um telefone ou PC....
submitted by Astronaut456 to desabafos [link] [comments]


2020.09.05 23:06 LeprechaunBR O desabafo de um autista.

Olá, turma e, talvez, Luba & Cia. Ltda. Bună ziuă, ce faci? Bom antes de começar de fato, existe uma coisa sobre mim que deve ser considerada. Tenho meus 26 anos e sou autista, tenho dificuldade em expor minhas ideias então, talvez esse texto fique sem sentido ou longo de mais, mas vou me esforçar pra me comunicar bem. (caso queiram cortar e editar, eu aceito a ajuda!) Sou filho de uma mãe solteira, que sempre lutou muito para vencer na vida. Meu "pai" teve problemas com drogas e minha mãe fugiu dele logo que eu nasci. Essa fuga nos fez sempre viver em dificuldade financeira, por sermos sempre nós dois. Ela se abrigou por alguns meses na casa do irmão mais velho dela, junto comigo ainda bebê. Meu tio é um homem muito rico, possui terras e posses, ajudou minha mãe a conseguir um trabalho. Esse período fez minha mãe idolatrar muito o meu tio. Minha infância foi regida em ficar fora do caminho da minha mãe que conseguiu trabalhar como enfermeira em dois turnos num hospital, e tentar me concentrar na escola. Era difícil, os sons e os movimentos das crianças me incomodavam muito e meu desempenho (copiando e fazendo tarefas no caderno) era terrível, embora eu fosse reconhecido como um aluno muito inteligente. Meu tio e sua família, bem como o restante da minha família sempre fez questão de mostrar que eu não era homem o bastante e nem merecia o respeito deles. Com piadas, pegadinha e comentários maldosos que eu só fui compreender quando comecei a fazer terapia. Aos 19 anos, morando sozinho eu tive a oportunidade de fazer psicoterapia, onde com uma equipe muito carinhosa e dedicada à mim, eu fui diagnosticado com a síndrome de Asperger, um dos espectros autistas. Esse diagnóstico foi chocante, mas fez com que muitas peças se encaixassem e eu entendesse o porque de eu ser tão estranho. Bom, minha família é extremamente machista, racista e capacitista. Quando comentei do diagnóstico minha mãe disse que não acreditava que eu tinha ido num médico de doido e colocou esse diagnóstico como culpa pra tudo que dava errado comigo, empregos, namoros, etc. Eu tinha que conter minhas crises em casa, não podia demonstrar o que estava sentindo. Certa feita ela descartou meus remédios porque "eu ficava estranho" quando os tomava. O ápice desse desabafo acontece agora. Eu iria fazer uma prova importante na casa desse tio, que não gostava de mim. Naquele dia eu, que sempre busquei a aprovação dele, comentei que estava buscando um intercâmbio gratuito na Espanha. Nesse momento ele me sentou numa cadeira e por mais de uma hora me ofendeu, me comparando ao meu "pai" me chamando de coisas muito pesadas, afirmando que eu só queria que minha mãe morresse pra eu pegar o dinheiro dela. (talvez porque eu pedi ajuda para pagar um mês de aluguel quando me mudei porque não iria receber naquele mês) e o pior foi que minha mãe agradeceu a ele por ter falado. Eu tive uma crise sensorial muito intensa, eu não sei como descrever essas crises, mas é como se sua pele não coubesse no seu corpo, tudo parece coçar muito e por mais que você puxe o ar ele não vem. Me mandaram parar de frescura. Tive que fazer a prova com esse espírito. (infelizmente reprovei) Minha terapeuta me ajudou a entender que eu não preciso ficar próximo deles, que eu devo buscar pessoas que me fazem bem. Hoje a pesar de ainda ser a vergonha da família, eu vivo até bem. Sou formado em fisioterapia e me especializei em neuropediatria e agora busco uma especialização em terapia intensiva, namoro uma mulher incrível e consigo conviver com o autismo. O recado que deixo, caso esse desabafo seja lido, é que você é mais! Você é mais que uma família complicada, você é mais que um diagnóstico, existe um mundo inteiro dentro de você!
submitted by LeprechaunBR to TurmaFeira [link] [comments]


2020.09.05 13:58 tOKYOFF Minha namorada terminou comigo

É isso, minha namorada terminou comigo. Após 4 anos e 2 meses ela terminou comigo por mensagem.
Namoramos por 4 anos, sempre tivemos brigas mas sempre nos resolviamos na conversa, sem desavença sem remorso. No final do ano passado como de costume eu vou para Natal ver minha família e como não sou eu que marco o dia de volta das passagens, acabei voltando apenas em fevereiro, ela ficou chateada mas tudo ficou de boa, foi me buscar no aeroporto e tal. Seguimos o ano normal, saimos e tal, até que chegou a pandemia (esqueci de mencionar que ela conseguiu um estágio em São Paulo no começo do ano), ainda nos viamos normal já que a doença ainda estava "controlada". Quando começou a quarentena deixamos de nos ver já que ela continou trabalhando e eu como grupo de risco, não queria pegar 3 ônibus pra ver ela. Meu pai sabia que não ia dar certo a gente se separar por muito tempo já que vivíamos grudados e se ofereceu pra buscar e levar ela todo fim de semana. Foi perfeito, ela não trabalhava de fim de semana, seguimos todos os protocolos de higiene e ficavamos felizes.
Em um fim de semana ela veio pra cá, super feliz, passamos o dia felizes, fizemos churrasco e tal. Uma semana depois ela termina comigo por mensagem... eu sou extremamente apegado e praticamente me humilhei pra que aquilo não acontecesse, marquei de nos encontrarmos para conversar melhor. Long story short, ela não queria mudar de ideia porque diz que demorou pra tomar essa decisão. Ela me diz que sente que não é mais o mesmo relacionamento, que estavamos empurrando com a barriga porque a gente não conversava mais (completamente descartando o fato de que ela não usa o celular direto e passa parte do dia trabalhando), expliquei que a gente não tinha mais tempo pra conversar e disse que mesmo assim eu sempre tempo todo dia conversar com ela, ficou irritadada e disse "nem transamos mais" (no meio de uma pandemia????) e eu disse que podiamos resolver tudo, não precisava de tudo isso, mas não adiantou.
Agora depois de um mês continuo triste, não tenho coragem de tirar nossa foto da mesa. Meus amigos apenas falam com e esqueceram que eu também estou sofrendo. Tenho que ver os posts dela no face praticamente fazendo graça do nosso término (piadas de "você já terminou um namoro mas...", "você casaria comigo sabendo que...") e isso machuca porque ela passa por isso como se 4 anos não fosse nada. Nem eu nem ela contamos para alguns amigos e família e nem sei como iremos fazer isso, vou ter que explicar pra toda minha familia que terminamos e ficar triste a cada pergunta dela.
Sentirei falta da família dela.
Minha ideia não era dizer tudo isso mas acabou que ficou desse tamanho, como a única pessoa que era minha amiga era minha namorada preferi desabafar aqui mesmo, onde infelizmente sei que vou ter mais ajuda do que meus "amigos". Só de vocês lerem será de enorme feito pra mim, gostaria de agradecer este sub, há pessoas de muita compaixão aqui.
Bom, vale mencionar que tive uma época com depressão e possuo ansiedade extremamente forte então continua difícil superar isso mas deixarei que me dêem conselhos.
submitted by tOKYOFF to desabafos [link] [comments]


2020.09.05 06:57 BelaMelissa12 O BENDITO ESCORREGA (part01)

Roii editores ,gatas,chat Ou turma ah eh mesmo e o luba eh oi luba (risos) bom meu querido mico que eu até não tenho mais vergonha pq niguem lembra mais disso ainda bem e claro.
Em 2018 eu tava com 11 anos e eu não tinha muita experiência em namoro ou sentimentos e tal aí eu e meus pais íamos passa o dia inteiro em um banho(sitio)com os amigos do meu pai ,mais o que eu não sabia era que o colega do meu pai tinha um filho que era super gato.
Quando eu vir ele tipo foi muito estranho porque eu ficava com vergonha de olha pra ele ou fala então eu ficava longe dele so pra garanti minha vida pois ser eu ficasse um pouquinho perto do garoto eu quaser infartava.
[Só pra avisa a história e um pouco grande kkk]
Depois da quele dia eu já estava completamente apaixonada e era muito bizarro.
Aí numa vez eu fui na casa dele come churrasco (que tava uma delícia kk , e era de noite ) minha mãe chamou ele pra coloca a senha do Wifi pra mim e ele colocou de Boa e tal .
Depois de nos janta e tal nossos pais comesaram a bebê pra la (E nesse dia um cachorro roubou uma carne que tava sendo assada kkkk)a mãe do garoto pediu com que ele me levasse pra fica na sala com ele tipo so eu e ele Hehehe.
E eu fique muito nervosa ,nos somos e ser sentamos no sofá aí começamos a conversa coisas aleatória.
A parti mais fofa foi que ele chegou mais perto de mim e começamos a assistir clarencio otimista.
Desculpa ser tive algum erro kkk
[Part2 com o mesmo título kk]
submitted by BelaMelissa12 to TurmaFeira [link] [comments]


2020.09.04 18:33 DanteStonecross Senta que la vem história

Eu to a algum tempo lendo e comentando coisas nesse /, e eu sempre quis dizer varias coisas aqui, porque de algum jeito eu me sinto confortável de ver essas coisas e todos vocês, mesmo discordando com algumas pessoas aqui e ali ta tudo bem, discordar é normal, faz a gente mais humano.
Mas eu queria muito contar uma história aqui hoje, é uma jornada importante pra mim, e eu espero que vocês gostem de me ver aprendendo uma coisa muito complicada. Nessa história, todos os nomes serão fictícios, e será um resumo muito resumido, então a grande maioria dos fatos não está aqui, mas o que isso tudo me ensinou, você vai poder ver com certeza.
Eu sempre fui um Romântico, e quando eu digo Romântico, eu falo da escola literária, eu não uso aquele português difícil, mas eu enxergo o mundo de uma maneira similar, eu vivo os momentos com as pessoas com intensidade, com muito sentimento, e os momentos seguintes a esses vem a melancolia.
A primeira vez que eu me apaixonei quando tinha 11 anos, o mundo se tornou diferente pra mim, era como se de repente todo o resto fosse preto e branco, e apenas aquela garota fosse colorida(eu tenho essa história contada em um texto, que é o ponto inicial da minha depressão, escrito exatamente como aquela criança enxergava o mundo, se ao final alguém se interessar eu mando sem problemas).
E, perto se fazer 14, em 2013, eu conheci uma garota muito mais do que bonita, ela era simplesmente divina aos meus olhos, ela era tão incrível, ela tinha absolutamente tudo que eu gostava. Eu conheci a Ágata dando aulas de matemática(o que mais um nerd faz?) e algo me chamou muita atenção: mesmo com 13 anos eu já tinha dado muitas aulas pra muitas pessoas e todo mundo tem um limite, todo mundo desiste(pede uma pausa) depois de X questões, mas ela não, mesmo sem entender muitas coisas ela persistia até o fim tentando entender tudo, até o horario dela ir embora ela continuou la, com o caderno e a caneta fazendo de tudo pra conseguir entender.
Bons meses depois Ágata se tornou minha melhor amiga(embora no início ela respondia minhas mensagens a cada 3 semanas, sem exagero!), e mais um tempo depois e muitos conflitos com a família dela, a gente começo a namorar.
Eu ainda não posso explicar o que era a sensação de namorar com ela, ela era literalmente o que todo garoto sempre sonhou: baixinha, cabelo cacheado, um rosto muito agradável, um sorriso lindíssimo, peitos e bunda enormes(ENORMES), cantava feito um anjo, era popular, divertida, extrovertida, dedicada, esforçada... É uma lista de qualidades que, na época, transbordava.
De 2014 até 2019, nós tivemos 3 anos de relacionamento e 5 anos de amizade, e eu aprendi muito mesmo em todos esses anos. O motivo do término do relacionamento(numa versão em resumo do resumo do resumo) foi, principalmente, possessão. Eu tenho um pai que é extremamente possessivo e eu levei 14 anos pra sair das garras deles(ou seja, ainda era recente quando eu conheci ela), e 1 ano depois do namoro ela começou a querer cada vez mais a minha atenção, onde eu não sentia mais liberdade pra fazer coisas que eu queria, porque eu tinha que ficar 3 horas falando no telefone com ela(e eu nem gosto de falar no telefone).
Não me entendam mal, eu não estou dizendo que fui perfeito, que não tive defeitos ou que só eu que estava passando por problemas, acabou porque precisava acabar. Inclusive se você, Ágata, por algum motivo descobriu o reddit e se reconhecer nesse post, saiba que mesmo não mais falando com você e não conseguindo mais olhar na sua cara(história pra outro dia), você pra sempre terá minha gratidão e meu respeito, nós vivemos muitas coisas juntos e, se hoje eu sou um homem, foi você que o moldou, muito obrigado.
Quando isso terminou, eu comecei a conversar mais com uma outra garota que eu conhecia, estudava na mesma escola que a gente, e conforme eu a conheci, ela começou a conquistar cada vez mais espaço no meu coração.
Carol era uma mulher interessante de várias maneiras, ela era extremamente extrovertida, cantava muito bem, tinha muitas histórias pra contar, era uma das pessoas que mais tinham ficado com gente na escola, e principalmente, ela tinha acabado de ganhar uma filinha. O jeito que a Carol olhava pra filha dela me fazia querer estar por perto, não porque ela parecia uma mãe incrível, mas porque havia uma dualidade dentro dela: aquela criança foi concebida de um estupro, onde foi muito difícil aceitar conceber a criança, quando ela nasceu era completamente visível que ela não sabia o que fazer, ela amava mais do que tudo aquela criança, ao mesmo tempo que ela via o homem que fez isso quando olhava pra ela(graças a deus, isso mudou bem rápido).
O tempo passou e eu e Carol começamos a nos dar muito bem, e em meados de 2019 a gente se beijou pela primeira vez, essa foi oficialmente a segunda pessoa que eu beijei na vida e cara, que coisa mais estranha, eu não sabia nem como descrever o que tinha sido aquilo de tão estranho... Até que ela me beijou uma segunda vez, e ai oficialmente, aquele era o melhor beijo do mundo.
Eu e Carol ficamos mais algumas vezes, e a gente se dava muito bem em tudo, até na cama era muuuuito diferente do que era com a minha ex, e a gente fazia tantas coisas juntos, viamos animes, conversavamos sobre varias pessoas, saíamos pra comprar roupas...
Cada dia que passava o meu sentimento só aumentava, e quanto mais ele aumentava, mais coisas que eu achava incríveis aconteciam, como a gente ver as coisas abraçadinhos, ficar de mãos dadas, varias dessas coisas de casal.
O meu erro? Carol desde o inicio falou "Não se apaixona por mim, eu não me apaixono por ninguém". Eu segui essas instruções o quanto foi possível, mas cara, talvez fosse loucura minha, mas parecia muito que ela também estava apaixonada, não com palavras porque toda vez que eu mencionava ela mudava a expressão e o jeito por um tempinho, mas as atitudes dela, os nossos momentos...
Depois de um tempo, no inicio desse ano, eu tentei cortar a Carol da minha vida torcendo pra que resolvesse meu problema, e deu certo por 1 mês até que ela me mandou mensagem perguntando quanto tempo isso levaria. Eu dei o meu melhor e coloquei todos os meus sentimentos em um texto, cada palavra continha tudo que eu sentia por ela, e ela também fez um texto de volta pra mim, e eu pude sentir o que ela sentia também, ela queria ser só minha amiga, e nada mais.
Nós ficamos mais 3 ou 4 meses sem nos falar até que, por intermédio de uma amiga em comum, a gente voltou a se falar e, desde então eu vi Carol mais umas 3 ou 4 vezes, mas é tudo muito estranho, a gente troca mensagens uma vez por semana e olhe la, eu nem acredito que um dia a nossa amizade volte, quanto mais a gente ficar ou coisas do tipo.
Mesmo com tudo isso, ela sempre viveu no meu coração.
Porem aqui vem a lição, meus amigos.
Há semanas atrás, eu consegui contato com uma garota que a gente não se via a muitos, muitos anos. Sabe aquela história de primeiro amor a gente nunca esquece? Esse foi meu segundo, e o que eu verdadeiramente nunca esqueci, eu sempre vou me lembrar do meu primeiro dia de aula numa escola completamente nova, e no fim do dia eu ainda todo perdido uma garota me puxa, me olha nos olhos e a primeira coisa que ela diz pra mim é: "Você namoraria comigo?". A resposta pra essa pergunta era não, obviamente, foi muito aleatório, mas eu estava tão nervoso que saiu "sim", ela deu um sorrisinho e voltou ao que tava fazendo. Desde aquele dia, Livia se aproximou cada vez mais de mim, e ela tentou me conquistar todos os dias, e acreditem em 2012/13 eu não era naada fácil.
E quando eu consegui falar com ela novamente, alguma coisa dentro de mim estalou, a gente voltou a conversar e era como se nada tivesse mudado, a gente conseguia desenvolver do mesmo jeito que a gente sempre fez, nem parecia que tinham 7 anos sem contato. A gente se viu algumas vezes(sim, eu sei que a gente ta de quarentena, todas as medidas de seguranças foram tomadas pra gente conseguir) e, cara, eu tinha me esquecido o que é olhar pra alguém que te olha como se você fosse uma obra prima, aquele olhar de quando éramos crianças não mudou nem um pouquinho, ela ainda olha pra mim como se eu fosse a pessoa mais legal do mundo.
Eu, com todos os meus defeitos, com todas as minha chatisses e meu jeito ""inteligente"" de ser, onde a lista de qualidades é exatamente igual a lista de defeitos, ela me vê como se fosse alguém muito mais do que incrível.
E eu olho pra ela assim também, e quando eu a olho, eu quero que ela sinta a pessoa incrível que eu vejo, uma pessoa que passou por inúmeros problemas pelo mundo afora e ainda passa, alguém que realmente foi a raiz do meu gosto pelas mulheres, que me ensinou que atitude é a melhor caracteristica possível em alguém, e que eu quero alguém com isso na minha vida, alguém que tenha coragem de me puxar pelo braço e dizer que me quer, alguém que queira os meus toques, alguém que querias os meus carinhos, as minhas massagens, os meus abraços, as minhas implicações, assistir animes ou séries comigo, beber comigo, aprender e viver todo tipo de experiências e situações. É isso que eu quero com ela também!
Esse é um pedacinho da minha odisseia, eu pedi a Deus, ao universo, a seja la o que for que estiver ai fora por nós, pra que 2020 seja um ano de apredizados e conquistas, 2020 foi o ano mais difícil da minha vida, onde por conta de um treinamento pra competição, da pandemia(home office) e tambem por causa de ter a Carol na minha cabeça, eu passei pela pior fase da minha vida, mas eu consegui correr atrás de ajuda a tempo(onde eu devo a minha vida a minha hipnoterapeuta, que mulher excepcional) e, no final dessa jornada, eu cresci muito e me tornei bem mais forte.
Muito obrigado, eu deixo aqui os meus agradecimentos a todas essas garotas, que me mostraram quem eu quero junto a mim e quem eu quero ser, a minha mãe que é a melhor mãe do mundo e, mesmo a gente se desentendendo as vezes, eu não resistiria sem ela, a minha hipnoterapeuta que consegue a façanha de me colocar em transe(hipnose ericsoniana é a melhor, sem dúvidas!) e que me ensinou muuuito mais lições do que eu teria aprendido em 20 anos da minha vida.
E principalmente, muito obrigado a mim mesmo, por ter aguentado até aqui, por nunca ter parado de ir pra frente mesmo pensando todos os dias em desistir, em jogar tudo pro ar, pensando até em coisas muuito, mas muuuuito mais escuras nos dias mais dificeis, mesmo assim nós estamos aqui, prontos para a proxima jornada, onde a gente vai sofrer, mas a gente vai aprender algo a respeito disso no final.
Se você chegou até aqui, meu caro amigo, eu só queria te contar a história de como eu descobrir o que, pra mim, é o amor. Amor é o que eu sinto quando olho pra alguém que também me devora com o olhar e as atitudes, amor não é toda a intensidade, todo o fogo, toda a loucura, não! Pode ser um pouco disso, mas principalmente, amor é reciprocidade, é você não ter que se esforçar em mudar 1001 coisas só pra agradar a pessoa, quem você ama e quem te ama de verdade gosta de você por ser quem você é, e é isso que eu quero pra minha vida, amar e ser amado!
Eu não sei se eu e Livia vamos ficar juntos, a gente deve descobrir mais a frente, mas eu sei que eu quero isso, e se o destino(ou o universo, ou deus...) não permitir que a gente fique junto, tudo bem, eu sei agora o que procurar, e que vai existir mais alguém que olhe pra mim do jeito que eu olho pra ela.
submitted by DanteStonecross to desabafos [link] [comments]


2020.09.02 17:49 _Emiko_ Sou babaca por falar que a minha ex deve terminar com o atual namorado porque ela não esta feliz de verdade?

Olá luba :D, como está?e as gatinhas elas estão bem? :), sou capixaba, então não tenho sotaque, mas usamos muitas palavras como "gastura"(de se sentir desconfortável) e "bota" (de colocar algo) e várias outras palavras que esquecikk
Você pode já estar pensando que "não, você não é a babaca" ou talvez esteja falando que eu sou sim, mas leia atentamente a história, pois ela pode dividir opiniões facilmente
Essa história aconteceu recentemente (essa semana podemos dizer? k) Começou quando eu voltei a falar com a minha ex depois de muito tempo, e saber sobre o motivo ela ter me abandonado antes (alguns meses atrás tinha tentando voltar com ela, porém ela muito insegura por causa da minha infantilidade que eu tinha quando namorávamos, ela meio que "fugiu" e ficou com outra pessoa, mesmo me dando esperanças de que ia voltar comigo na epóca)
Enfim, vamos chamar ela de "Carmen" (é quase o nome real dela mas blz)
A Carmen voltou a falar comigo, porém ela disse que estava num relacionamento com um cara, e que não ia terminar com ele, porque ele ajudou ela muito com os problemas dela até ai eu fiquei de boa com isso, se ela estava feliz é claro (mesmo eu chorando todas as noites sabendo que ela não ia voltar...não por agora...)
enfim, conversa vai, conversa vem, CONVERSA ESTRANHA.... e conversa, constrangedora? chegamos no assunto do namoro dela, perguntei se eles já... (tu sabe....) ela disse que não pois ele estava em tratamento, blz e eu perguntei se ela realmente amava ele
ela disse que não, que me amava ainda, e que estava com ele por tudo que ele fez por ela, e que não podia abandonar ele sem motivo
eu perguntei se ela estava feliz com aquilo
ela disse que "estava", mas que faltava algo (amor, neh, amor)
eu fiquei pasma com aquilo, ela estava com ele por RECONHECIMENTO? e que talvez nem estava tão feliz? falei pra ela conversar com ele sobre os sentimentos deles e chegarem a um acordo, porém ela teimou e disse que não iria fazer isso. enquanto isso, ela me chamava de bebê, que sentia minha falta, que gostava de mim, pediu nudes algumas vezes, e ainda por cima, me dava a ideia de eu VIRAR AMANTE DELA (o que eu não aceitei claro, eu estava perdidamente apaixonada por ela, mas não ao ponto de virar segunda opção dela) o que a deixou bem surpresa, foi eu não ter aceitado. eu estava ficando com esperanças de que ela iria voltar, por causa dessas coisas que ela falava comigo, ela estava realmente me iludindo
teve uma hora que eu confessei que tava mal por ela estar num relacionamento, e que eu ainda a amava muito. sabe oque ela fez? ME MANDOU FICAR COM UM MENINO (mesmo ela sabendo que sou LÉSBICA) e insistiu pra mim fazer isso, como se pra ela, um p*u resolve todos os problemas de carência
eu fiquei muito mal, ficamos um dia sem se falar, até ela chegar pra mim e ser direta comigo (um detalhe, foi tudo por whatsapp pois ela mora no RJ e eu no ES) disse que não ia terminar com ele, por tudo que ele fez pra ela, e que se fosse pra gente parar de se falar por que eu estava mal, ela faria
MAS EU FIQUEI COM ÓDIO REAL, eu comecei a tacar uns "então você prefere parar de falar com uma pessoa que realmente gosta, pra ficar com um cara que você nem ama? e ainda me dando expectativa falando que me ama, me chamando de bebê e me propondo ser sua amante?" continuei:
"você prefere não ter sua própria felicidade com a pessoa que realmente gosta, por causa desse cara?"
"se for pra ser assim carmen, então é melhor pararmos de se falar mesmo, porque eu ao contrário de você, quero ser feliz com quem eu amo de verdade, e não viver uma mentira" eu a bloqueei depois disso
logo depois, meu pai que falava com ela também, me disse que ela disse pra ele que ainda estava com o cara, pois ele está fazendo tratamento de câncer, e ela não pode abandonar ele, e que esta com ele por dó (isso mesmo que ela disse) e que na verdade, gosta dele como um irmão. eu disse que não ligava, e eu realmente não ligo.
eu tenho dó do cara, porque ele ta amando ela sozinho. Eu fico triste em saber que ele ta com câncer e vivendo uma ilusão com uma pessoa que não o ama como um namorado, e sim ama outra pessoa, e que se ele soubesse disso, ele se acharia um peso pras pessoas.
enfim, eu sou a babaca por ficar puta e parar de falar com ela, ou eu devia simplesmente ter aceitado e continuado a falar com ela como se não fosse nada pra mim?
(eu até enviaria prints, mas meio que eu já exclui o contato dela)
submitted by _Emiko_ to TurmaFeira [link] [comments]


2020.09.02 06:33 Luuwuh O dia que eu transformei uma webamizadecolorida em um namoro real.

Bom dia, boa tarde, boa noite Luba-san, gatas, otakus fedidos e não fedidos, restos de papelões e turma que está a ler, tudo bem com vocês? Hoje decidi compartilhar com vocês a história de como eu transformei uma webamizadecolorida em um namoro real.
Bom, eu tenho um amigo (que não é bem um amigo, logo logo vocês entenderão pq) que eu conheço faz bastante tempo. Eu conheci ele numa "rede social" chamada Amino a muito tempo atrás (tipo, faz uns 3/4 anos que eu conheço dele). Bem, nós sempre fomos muito amigos e sempre conversamos muito (ele tinha até virado meu melhor amigo). Ele é da mesma cidade que eu, mas nunca nos vimos pq ele mora do outro lado da cidade. Recentemente, nós viramos amigos coloridos pq nós sempre demos em cima um do outro e tals, mas nunca oficializamos com um namoro. Como nós nunca nos vimos, sempre tivemos o sonho que todas as pessoas que tem web amigos tem: sonhávamos com o dia em que nos veríamos na vida real. E eu fiz isso acontecer! Bem, meu aniversário estava chegando e com isso, minha mãe decidiu fazer uma mini festinha só pra gente daqui de casa por causa da pandemia. Como era aniversário de 15, minha mãe não queria que passasse em branco, então faríamos essa festinha. Eis aí a oportunidade perfeita de apresentar meu "amigo" para minha família, mas tinha um problema: eu tava MORRENDO de medo de contar pra minha família e dar ruim, já que ele tem 17 e eu 15. Bom, os dias foram passando e o dia do meu amigo estava finalmente chegando e eu estava enrolando pra contar pra minha mãe desse meu amigo. Até que eu tive a brilhante ideia de acordar cedo e contar pra minha mãe enquanto ela se arruma pro trabalho (a ideia era que ela deixasse pra conversar melhor quando ela chegasse em casa de noite, pq aí dava tempo de planejar o que falar), e eu sem ser boba, virei a noite pra poder estar acordada e tal. Quando finalmente deu a hora e minha mãe estava se arrumando, eu arreguei e não consegui contar. Massas, não sendo boba, resolvi fazer um TEXTÃO pra ela no whatsapp pra contar a novidade. Deu tudo certo e minha mãe aceitou numa boa. Já tinha combinado com ele e a mãe dele que eles viriam rapidinho só pra apresentar ele pra minha mãe, então estava tudo certo, faltava apenas contar pro meu pai. A estratégia usada pra contar pro meu pai foi: eu pedi ajuda da minha madrasta pra ela ir "preparando o terreno" pra mim poder contar. Contei bem no dia da festa e ele ficou meio nervoso, mas também correu tudo certo. Era dia da festa e eu já estava muito nervosa e ansiosa a espera do meu amado (nem dormi direito no dia k) Meu pai e irmãos fazendo piadinha sobre eu estar namorando, logo eu que sempre disse que não iria namorar nunca pq não preciso de maxo e pipipi popopo, ele finalmente chegou! Apresentei pra família e aparentemente todo mundo gostou dele e eu fiquei super nervosa e feliz, nem sabia como reagir. Só sei que agora namoramos de verdade e estamos esperando a pandemia passar para poder marcar vários encontros para darmos uns pegas <3 Tiramos algumas fotos, mas ele morre de vergonha, então não irei expor ele aqui. É isso lubinha, espero que tenha gostado, tenha um bom dia/tarde/noite e beba bastante água! <3 (Ficou meio grande, msm eu tentando resumir bastante, desculpa •~•)
submitted by Luuwuh to TurmaFeira [link] [comments]


2020.09.01 22:52 kinoko_okonik Eu sou babaca por não tolerar o comportamento da minha mãe?

(É uma história meio longa) Eu realmente preciso de uma ajuda com isso, vou dar um contexto: eu sou garota, tenho 17 anos, minha mãe me teve muito nova, então quando eu tinha 3 anos, ela conheceu um rapaz brasileiro cuja família morava no EUA e foi embora pra lá, de lá pra cá ela nunca mais voltou, mas conversa diariamente comigo. Eu moro com os meus avós, que eu chamo de pai e mãe, mesmo nossa relação não sendo muito boa a gente convive.
Ok, voltando à história, eu namoro à 9 meses com um garoto maravilhoso, ele me faz muito bem. Minha mãe não gosta dele, mas nunca falou nada sobre, como ele mora perto eu vou na casa dele direto, minha avó gosta bastante dele. Minha mãe fez questão de me ligar, como a gente tava ocupado jogando e dando beijinho eu recusei e mandei uma mensagem de "mãe, eu tô ocupada, depois a gente se fala ok?" Ela não gosta dele, sendo que ela nem conhece ele, e usou disso pra fazer um comentário racista sobre meu namorado (Meu namorado é negro) e reafirmar que ele não gosta dele por coisas que eu disse no passado (Ano passado eu e ele éramos amigos mas nossa amizade tava passando por uma fase ruim já que a gente se gostava mas era muito complicado ficar junto, então eu disse que ele andava muito triste e quieto), ela disse que "ele não dá valor na vida que deus deu pra ele". E eu fui bem clara e falei
Eu: Ainda bem que quem vem aqui sou eu e não você.
Mãe: Opa, olha o jeito que você fala comigo, eu não tô te maltratando.
Eu: Nem eu, mas essa foi uma opinião que eu não pedi, uma piada que eu não gostei (sobre a piada racista que ela fez)
Mãe: Você precisa aprender à rir das coisas, ter senso de humor. Você precisa de pessoas positivas na sua vida.
Eu: Ele é uma pessoa boa, e é mais positivo do que você tá sendo pra mim, ele me faz bem feliz e eu não vou parar de vir aqui porque você quer.
Isso resultou em uma grande discussão que no final eu falei "Desculpa se eu te ofendi". Ela mandou uma mensagem falando que não queria mais falar comigo, ok, passaram 4 dias e eu não chamei ela, não falei com ela sobre nada. Acho que ela esperava que eu fosse chorando pedir desculpa por não aceitar a piada maldosa dela, eu só aceitei o "não quero mais falar com você" e não chamei ela.
Hoje ela ligou para a minha vó, falou mal de mim, do meu namorado, ameaçou parar de ajudar minha vó à pagar as contas. Então eu fui falar com ela, eu comecei à fazer psicóloga faz poucos dias, então eu resolvi torar esse peso das costas pra não precisar encher o saco da minha psicóloga com briga assim e me abri pra minha mãe.
Disse que ela não me conhece direito, que eu quero ser amiga dela, a gente podia resolver tudo isso, pedi desculpa se eu ofendi ele, pedi pra ela me ouvir e disse o quanto meu namorado me faz bem.
Ela me mandou aseguintes mensagens: "Você tá sendo dramática, eu não fiz nada demais e você começa à gritar e ser assim" "Eu não tô podendo com esse tipo de relacionamento, isso é tóxico" "Você tem idade o suficiente pra saber o que é certo e o que é errado"
(Lembrando que eu não gritei com ela afinal em todo esse tempo a gente só trocou mensagens no Whatsapp.)
Eu disse: Ok, se você tá me fazendo mal e eu tô te fazendo mal, eu não vou mais voltar na conversa, desculpa. Eu só queria que você fosse minha mãe e minha amiga.
Ela mandou um áudio de 3 minutos falando pra eu me pôr no meu lugar, eu não sou a dona do mundo, eu nao sou a "fodona". Eu disse que eu nunca disse isso, ela tava pondo palavras na minha boca, ela respondeu falando que eu coloquei nela erros que ela não cometeu e ela é a única que me apoia.
Segue a conversa:
Eu: Eu desculpa, você que tá na defensiva.
Mãe: Claro que eu entrei na defensiva, vocês só me atacam, uma hora a pessoa precisa se defender, não sou saco de pancadas.
Eu: Ninguém tá te atacando, eu falei como eu me sinto, foi pra isso que você me colocou numa psicóloga. Eu não gritei com você, eu não briguei com você, só tô tentando conversar.
Mãe: Coloquei pra ver se você para de ser egoísta, te ensinar à ser mais humana.
Eu: Ela não é professora, ela tá lá pra conversar.
Mãe: Você viu qual o seu erro? Não importa quem esteja errada, eu não vou discutir com ela e cobrar dela uma opinião que não é minha. Se você tem uma opinião, guarde pra si.
Eu: Digo o mesmo, guarda a sua opinião sobre o meu namorado.
Mãe: Não é opinião, é conselho.
Eu: Mas eu não pedi!
Mãe: Você sabe que eu faço brincadeira.
Eu: Eu sei, mas eu não gostei, simples, o limite do humor é quando magoa alguém. (E isso magoou meu namorado, ele ficou extremamente incomodado)
À partir daí ela quis me dar sermão, falou que não vai pedir desculpa, falou pra eu só chamar ela quando eu souber conversar e eu cansei de ser lógica e disse "Ok, eu vou te bloquear, eu cansei de tentar falar com você em paz, você não entende mesmo."
Ela me ligou URRANDO de raiva, disse que eu era uma desgraçada ingrata, eu tava de castigo, não ia fazer mais nada pra mim, se soubesse que eu sai de casa vai tirar tudo que eu tenho, vai cancelar a psicóloga.
Eu quero saber, eu fiz errado em algum momento? Eu não vou deixar ela magoar a pessoa que mais me faz bem nessa vida de forma alguma. Alguém tem algum conselho?
Update: ela me mandou mensagem falando que me mandou dinheiro pra comprar coisas, eu falei "não quero, manda pra (minha vó) pagar conta", eu tô tão brava com ela tentando me comprar que não cabe em mim a raiva.
submitted by kinoko_okonik to TurmaFeira [link] [comments]


2020.09.01 04:36 anonimo9876 Medo de ser papai

Boa noite amigos, estou com medo. Contextualizando a situação, tenho 19 anos e namoro ha quase um ano com uma menina de 18, somos sexualmente ativos e sempre nos protegemos com camisinha. Porém, da ultima vez, domingo passado, houve um pequeno acidente (acho q por ma utilização minha) e a camisinha rasgou e acabei terminando dentro. Somos mt cuidados com isso e no mesmo dia compramos a pilula e ela tomou. Porém ainda estou bastante preocupado k, simplesmente n tenho condições nenhuma de ser pai, sou mt novo e dependente dos meus pais (provavelmente pelos proximos 6 anos). É isso. Caso alguém tenha passado pelo mesmo peço que compartilhe sua experiencia para me tranquilizar (ou nao). :)
submitted by anonimo9876 to desabafos [link] [comments]


2020.08.31 05:18 _powerguido_ Senta que lá vem história

Ficamos juntos por 5 anos. E não foram 5 anos fáceis - minha ex namorada teve problemas que eu não sabia como ajudar. Ela era literalmente stalkeada por um ex colega de classe que simplesmente se apaixonou por ela e passou mais de dois anos perseguindo ela no trabalho, no mestrado, na academia. Chegou a conspirar com colegas da faculdade pra saber onde ela estava, quem eram as pessoas próximas dela. Tentou rapta-la, mais de uma vez. Subornou familiares para ficarem do lado dele. Pra ela, ele era só um cara que não sabia expressar os sentimentos bem. Se ele parou? Não. Mas reduziu a agressividade consideravelmente e hoje em dia se limita à "só" mandar um buquê de rosas no aniversário dela.
O cara já estava tão enraizado na vida dela antes de eu aparecer, que eu simplesmente não consegui convencer nem mesmo a minha ex de que ele era um cara realmente transtornado. O terror que era esse cara na vida dela só serviu pra agravar ainda mais o caso grave de ansiedade que ela tem. Vocês sabem o que é ver uma crise de ansiedade pela primeira vez, sem nem entender o que estava acontecendo? Mas uma crise grave mesmo, de fazer a pessoa chorar por duas horas sem parar, de ficar arranhando o corpo todo com as unhas e viver com hematomas nos membros do corpo por causa disso. E isso começou a ficar constante... uma hora eram uns arranhados no rosto, depois nas pernas. Até o dia em que eu fui ver ela e os dois antebraços estavam quase em carne viva.
E o pior, é que eu quase nem me lembro mais dessa época. Foi muito intenso e me afetou negativamente por muito tempo. Eu conseguia entender que um babaca machista se via no direito de perseguir uma mulher só porque ela não queria namorar com ele - mas meu deus do céu, eu com certeza não conseguia entender como ela mesma não via o quanto ela precisava de uma ajuda profissional por causa da influência negativa desse cara na vida dela (e por vários outros motivos que não valem nem a pena serem citados). Ela me usava como substituto pra tudo que ela não tinha na vida dela - um pai, um irmão, um psicólogo, um amigo. E eu me deixei levar, porque era ingênuo. Porque era meu primeiro namoro. Porque eu achava que eu podia consertar isso. "Depois das primeiras sessões no psicólogo ela vai perceber que esta fazendo bem pra ela", eu dizia pra mim mesmo. Passamos em tantos psicólogos, psiquiatras, gurus. Fizemos academia juntos, eu praticamente morava com ela e não ficava mais com minha família. Eu achava que eu podia dar um jeito na vida daquela menina.
E sinceramente? Eu podia mesmo. Eu não acho que falei alguma coisa errada pra ela em todo o tempo que estávamos juntos. Mas ela nunca me ouvia. E se ela ouvisse, talvez ela tivesse passado por essas situações com mais facilidade, nosso relacionamento teria tomado outros rumos e nós ainda estaríamos juntos. Mas não estamos, e quem está perdendo com isso é ela, porque ela não me superou com certeza. Ela mesma me fala isso.
Eu não acho que eu era um namorado incrível e maravilhoso. Eu nunca tive um carro pra conseguir dar um rolê com ela. Com meu dinheiro mal dava pra gente ir no cinema uma vez por mês. Mas cara, eu me esforçava tanto, tanto mesmo. Lembro que eu um dos dias dos namorados eu quase varei a noite fazendo uma carta à mão de umas 10 páginas, tinha vários desenhos coloridos, poemas apaixonados e promessas de amor. Ela achou ok. Gostou mais do bicho de pelúcia que eu também dei, que custou 10 reais e que claramente não tinha nenhum valor sentimental pra mim. É muito difícil lidar com um cara que persegue sua namorada, mas acho que é mais difícil quando sua própria namorada não dá valor pra como você expressa seu amor por ela.
Mas você leitor deve estar pensando "Mas você disse isso pra ela?" E a resposta é sim. Eu sempre fui sincero com ela, se algo me chateava, eu dizia. Nada do que eu estou escrevendo aqui é algum segredo pra ela. E eu achava que ela ia trabalhar essas informações pra criar um relacionamento mais confortável pra mim e pra ela. Mas ela escolheu ignorar.
Mas o motivo de eu estar escrevendo tudo isso mesmo na verdade é outro. A gente terminou, mas foi razoavelmente tranquilo e decidimos continuar nos falando. Nós dois somos adultos, não é porque discordamos de alguns pontos que precisamos deixar de apreciar a companhia um do outro pra todo o sempre.
E é aqui que sou obrigado a voltar pro começo do nosso namoro. Porque apesar de termos iniciado o namoro cada um com mais de 30 anos, perdemos a virgindade juntos. Crescemos sexualmente juntos. Aprendemos tanto juntos! Eu mais ainda, visto que era meu primeiro namoro. E eu reclamei muito aqui da minha ex (e ela realmente tem os defeitos muito marcantes dela), mas eu também preciso admitir que ela em muitos momentos foi tão minha parceira, minha confidente, minha amada. Eu passei calado por todas as situações que eu já descrevi aqui e muitas outras tão ruins quanto porque, no fundo mesmo, pra mim estava valendo a pena. A gente tinha intimidade, apesar da dificuldade extrema dela de se abrir pra mim. Eu estava sacrificando meu bem estar mental e físico para sustentar o nosso relacionamento.
Tanto que só perto do final do nosso relacionamento que ela assumiu pra mim a atração por outras mulheres. Eu entendo ela, tem gente que não reage bem à isso. Eu tenho certeza que a família dela não reagiria nada bem. Entendo que era um segredo que ela queria deixar só pra ela, e que mesmo com toda a intimidade sexual que a gente tinha, ela também tem o direito de manter coisas só pra ela. É justo.
Só que eu não fiquei com raiva, nem com medo de ela querer me trocar por uma mulher, nem tive essa ideia fetichizada de transar com duas mulheres ao mesmo tempo. Eu sou um cara hétero, mas eu acho o amor lésbico de uma sensibilidade e de uma beleza inexplicável. Eu sempre me sinto mais seguro perto de mulheres, sempre me conecto mais com elas. Desde pequeno eu gosto da presença feminina. Então a ideia de duas mulheres partilhando um relacionamento, parece uma coisa quase mágica pra mim. E de novo, não é nada sexual nem fetichizado, eu realmente só acho muito bonito mesmo. Então qual foi minha reação quando descobri que minha ex tinha vontade de viver isso que eu acho tão incrível? Incentivei ela à correr atrás disso.
Mas é claro que ela, criada numa família extremamente católica, iria simplesmente sair atrás de uma guria do dia pra noite. Foram meses de conversa, de aceitação da parte dela também, de entender que ela não era uma aberração da natureza porque sentia atração pelo mesmo sexo (e também pelo sexo oposto). Nossos últimos meses juntos foram repletos de muitas conversas relacionadas ao mundo LGBT+ e afins. Acho que nós dois também já sabíamos que as coisas não estavam mais super bem entre nós, e que era questão de tempo até a gente se separar. Nosso relacionamento estava bem desgastado mesmo. É estranho porque a gente consegue ser extremamente forte pra parceira quando ela precisa ir correndo pro hospital, ou tem uma crise de pânico, ou não se sente segura na rua e precisa que você pare o seu dia para fazer companhia à ela - mas parece perder a motivação quando essas situações se normalizam e você percebe que talvez aquela pessoa simplesmente não tem a proatividade de te mandar uma mensagem perguntando "como foi seu dia", e de alguma forma sempre está online no whatspp. Sim, nosso relacionamento acabou. E foi bom ter acabado. Eu precisava desse término, muito mais do que eu precisava de uma namorada.
Mas também é muito bom saber que aquela pessoa por quem você passou anos cultivando um sentimento também está vivendo a vida dela. É bom saber que dá pra gente marcar um dia pra devolver as roupas dela que ficaram aqui em casa, sem drama, sem dor de cabeça. Ela foi muito madura no término, eu também. De certa forma nosso namoro acabou, mas continuou como uma amizade - bem menos intensa, bem menos problemática, bem mais fácil de lidar. Mas também sem as partes boas, sem aquela sensação de que se está ajudando a pessoa. Mas é muito mais do que milhares de pessoas separadas têm hoje em dia. Não posso reclamar, eu tenho muita sorte.
Eu só queria mesmo poder partilhar com ela a experiência da descoberta homoafetiva dela. O que não vai acontecer, já que ela já deixou claro que não é obrigada a revelar nada da vida pessoal dela agora que nosso relacionamento terminou - e ela tem total razão nisso. Eu sei disso, eu concordo com isso, e ao mesmo tempo eu acho que ela está sendo tão injusta por me negar esse fato.
Eu sei que não justifica, mas eu me dediquei tanto ao nosso antigo relacionamento juntos. Tive que entender que eu não estava mais sozinho no mundo, eu tinha alguém pra dividir o mundo comigo. Eu tive que aprender a baixar minha guarda, contar o que me dava medo, me expor totalmente à alguém, me desconstruir inteiro. E isso é muito difícil pra mim. Eu sei que ela não me deve nada, e eu sei que eu sou um idiota por me apegar tanto à esse motivo tão besta. Mas isso é realmente importante pra mim. Tem uma coisa dentro de mim que é ansiosa em saber se minha ex está se sentindo acolhida por uma outra mulher, se teve uma boa primeira experiência. De novo, eu sei que soa muito trivial, mas é uma verdade tão grande dentro do meu coração que me faz querer chorar quando lembro que isso nunca vai acontecer.
E não tem nada que eu possa fazer a não ser aceitar. E é exatamente isso que eu venho tentado fazer, pelos últimos 6 meses.
submitted by _powerguido_ to desabafos [link] [comments]


De pais para filhos - De filhos para pais  TEMPO DE SALVAÇÃO -Série NAMORO Pais trollam pedido de namoro da filha. Mãe de Munik Nunes filma briga com o ex marido Apaixonado por Pais... (Simulador de Namoro) // Terça ... Um pedido de namoro perfeito DE FÉRIAS SEM OS PAIS - PEDE EM NAMORO (Episódio 10) - YouTube Pedido - Autorização dos Pais Pedido de namoro - A palavra do Pai! TROLLEI MEUS PAIS COM UM PEDIDO DE NAMORO - YouTube Papo de Mãe - Namoro

Deslize para a direita: use os dados para namorar melhor ...

  1. De pais para filhos - De filhos para pais TEMPO DE SALVAÇÃO -Série NAMORO
  2. Pais trollam pedido de namoro da filha.
  3. Mãe de Munik Nunes filma briga com o ex marido
  4. Apaixonado por Pais... (Simulador de Namoro) // Terça ...
  5. Um pedido de namoro perfeito
  6. DE FÉRIAS SEM OS PAIS - PEDE EM NAMORO (Episódio 10) - YouTube
  7. Pedido - Autorização dos Pais
  8. Pedido de namoro - A palavra do Pai!
  9. TROLLEI MEUS PAIS COM UM PEDIDO DE NAMORO - YouTube
  10. Papo de Mãe - Namoro

• Seja um MEMBRO: https://www.youtube.com/LubaTV/join • Envie seu MEME: http://www.reddit.com/r/nhaa • Canal de Gameplays: http://www.youtube.com/lubatvgames... Menina pede menino em namoro 🙊,olha no que deu!! - Duration: 9:56. Camile Vivi 1,058,009 views. 9:56. o aniversário de 15 anos mais emocionante do mundo ! - Duration: 6:32. Pedido de Namoro Jônatas e Alessandra - Duration: 8:53. Alessandra Cardoso 346,100 views. 8:53. Isso e o que dá falar para o pai que ta namorando - Duration: 2:41. de fÉrias sem os pais - pede em namoro (episódio 10) reality show de ferias sem os pais. abertura de ferias sem os pais. ferias sem os pais. fomos para um re... Podia ser apenas um pedido de namoro comum, mas o Bruno resolveu deixar as coisas bem mais interessantes. O uso do vídeo em momentos marcantes da vida fazem a diferença! Seja no pedido de namoro ... Os pais devem impor limites para o namoro de seus filhos? Momento Papo de Mãe - Duration: 14:00. Papo de Mãe TV Cultura 52,760 views. 14:00. Papo de Mãe - Primeiro Mês - Duration: 53:12. Pedido de namoro nos meus 15 anos #3 - Bianca Bartarin - Duration: 5:21. Bianca Bartarin 1,045,941 views. 5:21. COMO FALAR COM OS PAIS QUE QUER NAMORAR? - Duration: 3:50. Namoro tem como fim último o casamento e você vai casar com a família dela e ela com a tua família. 5. Se imponha, ou seja através de uma conversa com seus pais e convença - os de que sua ... Agora tem vídeo novo toda TERÇA, QUINTA e SÁBADO Espero que tenham gostado do vídeo! Me sigam nas minhas redes sociais: •Instagram: @Daniellediz •TikTok: @... Munik Nunes assume namoro com jogador Dudu e dá detalhes de barraco armado por ex-mulher do atacante - Duration: 4:20. Snaps dos Famosos 35,622 views. 4:20.